Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Trump autorizou pagamentos ilícitos a atriz pornô, diz ex-advogado

Michael Cohen depôs em tribunal que foi procurado pelo ex-presidente para 'resolver' enroscos com mulheres durante corrida pela Casa Branca em 2016

Por Da Redação
13 Maio 2024, 18h33

O ex-advogado de Donald Trump, Michael Cohen, testemunhou em um tribunal de Nova York nesta segunda-feira, 13, que o ex-presidente dos Estados Unidos escondeu um pagamento à ex-atriz pornô Stormy Daniels, de US$ 130 mil, para comprar seu silêncio sobre um affair às vésperas da eleição de 2016. O antigo “faz-tudo” de Trump afirmou ainda que foi designado pelo republicano para resolver seus enroscos “negativos” com mulheres, para evitar que sua imagem fosse prejudicada durante a campanha eleitoral.

Na corte, a promotoria tenta provar que esconder o pagamento a Daniels foi ilegal – uma falsificação de registros comerciais. Os dois tiveram um caso extraconjugal dez anos antes, em 2006, mas a transferência ocorreu em 2016. O registro da transação ficou no nome de Cohen, para posteriormente ser listado no nome de uma empresa de fachada, e foi incorporado como uma despesa legal da empresa Trump Organization.

+ Ex-advogado de Trump depõe contra o antigo aliado em julgamento

Após vencer as eleições, o então presidente restituiu o advogado com uma série de cheques mensais, que vinham de um fundo de ativos da empresa, ou de sua própria conta bancária. Ao todo, foram 11 cheques, nove dos quais o próprio Trump assinou.

Cohen já foi um dos aliados mais leais de Trump. Desde que o antigo chefe virou alvo de investigação federal sobre sua campanha em 2016, porém, ambos romperam os laços.

Continua após a publicidade

Os advogados de defesa rebateram, afirmando que, naquela época, Cohen queria se vingar e tinha como objetivo constranger a família do republicano. Entretanto, o ex-advogado alegou que Trump parecia muito mais preocupado com o efeito que a notícia teria em sua campanha do que no seu casamento com Melania.

Atualmente, o ex-presidente enfrenta 34 acusações de falsificação de registros comerciais vinculados ao reembolso. Os promotores afirmam que os registros foram alterados e encobriram violações da lei eleitoral e da legislação tributária – uma vez que o dinheiro seria essencialmente uma contribuição não declarada para a campanha de Trump. Caso condenado, ele pode ser punido com até quatro anos de prisão – embora possa continuar concorrendo às eleições deste ano.

O candidato se declarou inocente e nega ter tido um encontro sexual com Daniels.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.