Clique e assine a partir de 8,90/mês

Trump atrai maioria dos ataques e tem desempenho apagado em debate

Carly Fiorina foi irônica ao chamar Trump de 'maravilhoso apresentador' e afirmou também que "o bom senso" dos eleitores colocará o magnata em seu devido lugar

Por Da Redação - 17 set 2015, 07h34

O magnata Donald Trump, o pré-candidato republicano em melhor posição nas pesquisas, virou o alvo preferido dos ataques em um debate na noite de quarta-feira com os rivais do partido, e Carly Fiorina, a única mulher do grupo, mostrou suas credenciais. “Senhor Trump, não precisamos de um aprendiz na Casa Branca, já temos um”, disse o aspirante Scott Walker, governador de Wisconsin e em queda livre nas pesquisas, em uma referência ao programa de televisão que transformou Trump em uma grande celebridade. Os pré-candidatos não hesitaram em afirmar que o bilionário não está preparado para ser presidente dos Estados Unidos, e que é um egocêntrico que só acredita nele mesmo, de acordo com as palavras de George Pataki e Bobby Jindal, respectivamente.

Outros dez aspirantes republicanos, além de Trump, participaram no debate, que aconteceu na Biblioteca Presidencial Reagan em Simi Valley, Califórnia. Alguns, como o ex-governador da Flórida Jeb Bush, estão sob intensa pressão para conseguir alavancar a campanha, já que existe o risco de chegar ao momento das primárias praticamente sem chances de obter a indicação republicana.

Leia também

Casado com latina, Tom Brady apoia candidatura de Donald Trump

Trump perde força e Carson cresce na véspera de novo debate republicano

Para a ‘The Economist’, Trump seria perigoso como presidente

Continua após a publicidade

Fiorina – Em um dos momentos mais tensos do debate, Fiorina respondeu com elegância aos comentários ofensivos formulados por Trump sobre sua aparência e sobre como isto afasta os eleitores. “Acredito que todas as mulheres do país escutaram claramente o que senhor Trump disse”, afirmou a pré-candidata, que foi muito aplaudida neste momento. Fiorina também se destacou ao demonstrar conhecimento de dados militares e criticar a pré-candidata do Partido Democrata Hillary Clinton por sua falta de êxitos. A republicana provocou uma grande comoção ao revelar que perdeu um filho para o vício em drogas e também encontrou tempo para criticar duramente Trump por suas práticas comerciais. Fiorina foi irônica ao chamar Trump de “maravilhoso apresentador” e mostrou sua confiança de que “o bom senso” dos eleitores colocará o magnata em seu devido lugar.

Muro – No segmento dedicado à migração, considerado um tema central para todos os candidatos conservadores, Trump voltou a prometer a construção de um muro na fronteira com o México e que expulsará do país 11 milhões de imigrantes ilegais. “Quero construir um muro. Há muita gente ruim neste país que vem de fora. Se for eleito, no primeiro dia essas pessoas vão partir daqui”, completou.

Leia mais

Conheça as candidatas republicanas a primeira-dama

O segundo colocado nas pesquisas entre os republicanos, o cirurgião Ben Carson, disse que é inviável deportar 11 milhões de imigrantes ilegais, mas concordou que a fronteira entre Estados Unidos e México está desprotegida. Bush (casado com uma mexicana) e o senador Marco Rubio (neto de imigrantes cubanos) criticaram a ideia de expulsão em massa, mas defenderam o reforço da segurança na fronteira.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade