Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Trump ataca pré-candidatos e diz que não há limite de gastos em sua campanha

Em coletiva de imprensa em Iowa, o magnata americano criticou os pré-candidatos republicanos Jeb Bush e Scott Walker e a pré-candidata democrata Hillary Clinton

Por Da Redação - 25 jul 2015, 21h33

O empresário Donald Trump disse neste sábado que não há nenhum limite na quantidade de dinheiro que está disposto a colocar em sua campanha pela nomeação como candidato do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos.

Em uma coletiva de imprensa na cidade de Oskaloosa, no estado de Iowa, Trump também atacou os pré-candidatos republicanos Jeb Bush e Scott Walker e a pré-candidata democrata Hillary Clinton, dizendo que eles estão “em dívida” com doadores ricos.

“Bush é controlado por essas pessoas. Walker é controlado por essas pessoas. Hillary Clinton é controlada por essas pessoas. Trump não tem nenhuma dessas pessoas”, afirmou. “Eu não sou controlado por ninguém. Eu faço o que é certo para o povo.”

Leia também:

Publicidade

Trump visita fronteira dos EUA com México e insiste em construção de muro

Trump ameaça lançar candidatura independente à Casa Branca

Trump, magnata do setor imobiliário e apresentador de televisão, financiou sozinho quase que toda a sua pré-campanha até agora.

Ele falou diante de mais de mil pessoas, que reuniram em um “piquenique familiar”. Os participantes lotaram o auditório da escola secundária da cidade.

Publicidade

A manifestação foi originalmente programada para ser realizada em um parque da cidade de Oskaloosa no mês passado, mas teve de ser remarcada pelo comitê organizador da pré-campanha de Trump em Iowa.

A multidão predominantemente branca comeu hambúrgueres preparados em churrasqueiras e saladas servidas em baixelas de prata.

“Ele está dizendo as coisas que realmente sentimos”, disse Gary Staggs, um pequeno empresário de 55 anos, natural de Oskaloosa. “Os políticos não podem dizer quase nada, porque eles têm tanto medo de ofender alguém.”

Perguntado se iria cortar benefícios da Previdência Social, como prometem outros pré-candidatos republicanos, Trump disse que isso não seria necessário porque traria “muita atividade econômica” aos Estados Unidos.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade