Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump anuncia nova secretária de imprensa da Casa Branca

Stephanie Grisham trabalhou na campanha eleitoral do presidente americano e é porta-voz da primeira-dama Melania

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou Stephanie Grisham como sua nova secretária de imprensa e porta-voz da Casa Branca nesta terça-feira, 25. Grisham atua como porta-voz da primeira-dama, Melania. Grisham substituirá Sarah Sanders, que informou sua saída do cargo há duas semanas.

Segundo a emissora CNN, Grisham já assumirá o posto durante a viagem de Trump para o Japão, onde participará da reunião de cúpula do G20. Trump deixa os Estados Unidos nesta terça-feira. Além de secretária de imprensa, ela atuará como diretora de comunicação, um posto que está vago desde que Bill Shine pediu demissão em março, e também manterá seu trabalho com a primeira-dama.

Grisham será a terceira pessoa a ocupar o cargo de porta-voz e a sexta a assumir a diretoria de comunicação da Casa Branca desde que Donald Trump tomou posse, em janeiro de 2017.

Stephanie Grisham já vinha sendo apontada como uma das principais escolhas para substituir Sanders. Ela trabalha com a família Trump há cinco anos e atuava como diretora de comunicação e vice-chefe de gabinete da primeira-dama Melania.

A republicana trabalhou na campanha de Trump para a Presidência e serviu como porta-voz e diretora de comunicação de diversos políticos no estado do Arizona. Também atuou na campanha eleitoral de Mitt Romney contra Barack Obama em 2012.

Pelo Twitter, Melania afirmou que ela e Donald Trump não poderiam pensar em “uma pessoa melhor para servir a administração e o país” do que Grisham.

 

Cacofonia

Regularmente questionada sobre os provocantes tuítes ou ataques agressivos de Trump à imprensa, Sanders esteve muitas vezes em posição delicada e foi sido criticada até mesmo por suas declarações mentirosas durante interações muitas vezes tensas com os jornalistas. Ela é filha do ex-governador do Arkansas Mike Huckabee, que foi pré-candidato republicano à Casa Branca em 2008.

Em ruptura com uma tradição firmemente estabelecida há décadas, Sanders abandonou a entrevista coletiva diária na sala de imprensa da Casa Branca, dando prioridade a sessões de perguntas e respostas improvisadas, que não raro acabavam em cacofonia.