Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump anuncia libertação de três americanos presos na Coreia do Norte

Pelo Twitter, o presidente anunciou que os americanos estão retornando aos EUA junto ao Secretário de Estados Mike Pompeo

Três americanos foram libertados nesta quarta-feira pela Coreia do Norte, informou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. As solturas ocorrem durante a visita do Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, ao país asiático.

Pompeo chegou hoje a Pyongyang para discutir questões nucleares com o líder Kim Jong-un, em um adiantamento da cúpula entre o líder norte-coreano e Trump, que deve acontecer nas próximas semanas. Desde o comunicado da visita, autoridades sul-coreanas especulavam a libertação dos presos.

O presidente também anunciou que a data e o local do encontro foram definidos nesta reunião que ele considerou como “boa”. No entanto, ele ainda não revelou o dia e o lugar escolhidos.

“Tenho o prazer de informá-los que o Secretário de Estado Mike Pompeo está voando em seu caminho de volta da Coreia do Norte com os três cavalheiros maravilhosos que todos estão ansiosos para conhecer”, afirmou Trump pelo Twitter. “Eles parecem estar em boa saúde. Além disso, boa reunião com Kim Jong un. Data e lugar definidos”.

Os americanos, Kim Dong Chul, Kim Hak-song e Kim Sang Duk, conhecido como Tony Kim, estão há meses detidos em campos de trabalho na Coreia do Norte por atividades anti-estatais.

Tony Kim e Kim Hak-song, ambos da Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang, foram presos em abril e maio de 2017, respectivamente, por “atos hostis” ao regime, segundo informou a rede CNN.

Tony Kim, um dos três americanos detidos na Coreia do Norte, posa para uma foto na Califórnia, em 2016

Tony Kim, um dos três americanos detidos na Coreia do Norte, posa para uma foto na Califórnia, em 2016 (Divulgação/Reuters)

Kim Dong Chul está preso desde 2015 por espionar em nome da Coreia do Sul, segundo ele revelou em entrevista à rede americana em janeiro de 2016. Toda a entrevista foi monitora por autoridades norte-coreanas.