Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump aguarda posicionamento de Riad para agir após ataque a refinarias

"Há razões para acreditar que sabemos o culpado", diz presidente americano sobre ataque a instalações da estaal Saudi Aramco

Por Da Redação - Atualizado em 16 set 2019, 02h05 - Publicado em 16 set 2019, 01h26

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, usou o Twitter para se pronunciar sobre o ataque contra duas refinarias da principal companhia petrolífera do mundo, a estatal saudita Saudi Aramco, e disse que espera um posicionamento de Riad para decidir domo reagir. Rebeldes houthis iemenitas assumiram autoria do ataque. O Irã, que apoia os rebeldes, negou envolvimento no caso.

“O fornecimento de petróleo da Arábia Saudita foi atacado. Há razões para acreditar que sabemos o culpado, estamos carregados e prontos, pendentes da verificação, mas estamos esperando notícias do Reino (da Arábia Saudita) sobre quem eles acreditam que foi a causa desse ataque e sob quais termos procederíamos!”, escreveu Trump.

Continua após a publicidade

No tweet, Trump usou a locução “locked and loaded“, que em português significa “carregado e pronto (para atirar)”. O termo é usado em âmbito militar pra dizer que uma arma está carregada.

A resposta é a mais dura do chefe de governo dos EUA sobre o ocorrido no sábado na Arábia Saudita, onde duas refinarias da Aramco foram alvos do bombardeio de dez drones, causando a redução do abastecimento em quase 50%. No entanto, em momento algum, ele explicitou quem acredita ser o responsável pelos ataques.

A ofensiva foi reivindicada pelos houthis iemenitas, grupo apoiado pelo Irã, que no sábado foi apontado como responsável pelo bombardeio pelo secretário de estado americano, Mike Pompeo. Ele afirmou não haver evidências de que os drones saíram do Iêmen.

Trump ainda não descartou a possibilidade de uma reunião com o presidente iraniano, Hassan Rohani, que poderia ser realizada durante Assembleia Geral das Nações Unidas, no fim deste mês, em Nova York. Contudo, negou que o encontro possa acontecer sem pré-condições, como vinha sendo divulgado pela imprensa.

“As Fake News estão dizendo que eu estou disposto a me reunir com o Irã ‘sem condições’. Essa é uma afirmação incorreta (como de costume!)”, tuitou.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade