Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trudeau anuncia a proibição de 1.500 modelos de fuzis militares no Canadá

Decisão foi tomada após ataque a tiros em Nova Escócia que matou 22 pessoas

Por Da Redação - 1 May 2020, 15h54

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, anunciou nesta sexta-feira, 1, a proibição imediata de mais de 1.500 modelos de fuzis de calibre militar no país, menos de duas semanas após o pior ataque a tiros registrado na história do país, que deixou 22 mortos.

“Essas armas foram projetadas para um único objetivo: matar o maior número de pessoas o mais rápido possível. E elas não têm uso ou lugar no Canadá”, disse Trudeau durante sua coletiva diária. “A partir de agora, não é mais permitido comprar, vender, transportar, importar ou usar armas de assalto de nível militar neste país”.

Estima-se que haja no país mais de 83 mil armas que se enquadram na lista de proibições, segundo a rede de comunicação canadense CBC.

Trudeau anunciou ainda que dará um período de anistia de dois anos para permitir que os proprietários de armas se adequem à nova lei. Apesar disso, a proibição tem “efeito imediato” e as armas de assalto já não podem ser usadas no país a partir desta sexta.

Continua após a publicidade

Um ataque a tiros na noite do dia 13 deixou 22 mortos na zona rural da Nova Escócia. O atirador, que foi preso após muitas horas de perseguição policial, estava armado com dois rifles e várias pistolas semi-automáticas.

(Com AFP)

Publicidade