Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Tropas ucranianas iniciam retirada da Crimeia nesta quarta

Anúncio foi feito pelo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, que assumiu controle regional após anexar ex-república autônoma da Ucrânia

Por Da Redação
26 mar 2014, 04h52

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas, general Valeri Gerasimov, anunciou nesta quarta-feira que os militares ucranianos alocados na Crimeia começarão a deixar a península nesta quarta-feira e o farão em um trem e sem seus armamentos e equipamentos. “Em virtude de um acordo entre os Ministérios da Defesa da Rússia e da Ucrânia, os efetivos das Forças Armadas da Ucrânia e membros de suas famílias sairão da Crimeia em transporte ferroviário”, disse o russo a jornalistas.

Leia também:

Obama: Rússia ameaça vizinhos por fraqueza, não por força

Ele também esclareceu que “todos os militares que manifestaram seu desejo de continuar a servir as Forças Armadas ucranianas estão fora de suas unidades, depois que entregaram suas armas, e se preparam para deixar a Crimeia junto com suas famílias e pertences pessoais”.

A Ucrânia ordenou a retirada de suas tropas da Crimeia há dois dias, quando já tinha perdido praticamente todas as suas unidades e navios na península, e negociou até o último momento a possibilidade de sair com seus armamentos, veículos e equipamentos.

Continua após a publicidade

A vice-secretária do Conselho de Segurança e Defesa da Ucrânia, Victoria Siumar, explicou que os efetivos da Marinha serão recuados até o porto de Odessa, vizinha da Crimeia, e para a região de Kherson. O restante dos militares continuarão o serviço nas regiões de fronteira.

O ex-ministro da Defesa ucraniano, Igor Teniukh, garantiu nesta terça, antes de apresentar sua renúncia, que os 4.000 soldados ucranianos que desejam continuar a serviço da Ucrânia (de um total de quase 19.000 ) deixariam a Crimeia com todo o seu equipamento.

Bandeira russa – Após um fim de semana dramático para as Forças Armadas da Ucrânia, que perdeu todos seus navios, armamentos e equipamentos na Crimeia, as 203 unidades ucranianas na península já hastearam a bandeira russa e quase 80% dos soldados ucranianos mudaram de lado, se colocando às ordens da Rússia, ou abandonaram o Exército.

A maior parte dos destacamentos, bases e navios de guerra que se mantiveram leais a Kiev foram invadidos e tomados pelas forças russas desde o último sábado, em meio à absoluta inoperância da cúpula militar e política do país, denunciada como negligente por muitos oficiais ucranianos.

Pelo menos cinco oficiais ucranianos, entre eles o comandante adjunto da Marinha da Ucrânia para a defesa do litoral, o general Igor Voronchenk, foram detidos pelas autoridades da Crimeia por oferecerem resistência aos russos.

Continua após a publicidade

(Com agência EFE)

(Com agência EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.