Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Trabalhadores rurais ocupam Ministério da Fazenda para exigir reforma agrária

Por Da Redação - 23 maio 2012, 13h23

Brasília, 23 mai (EFE).- Um grupo de trabalhadores rurais ocupou nesta quarta-feira o prédio do Ministério da Fazenda, em Brasília, para protestar contra a lentidão na reforma agrária.

Os manifestantes ameaçaram os vigilantes e arremessarem pedras nas portas de vidro que dão acesso ao prédio, quebrando duas delas. Em seguida, o local foi cercado por policiais.

O protesto foi organizado pela Federação Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), organização camponesa vinculada à Central Única dos Trabalhadores (CUT).

O sindicalista Ariolino Ferreira, representante do grupo que ocupou o edifício, disse que os manifestantes não irão se retirar até conseguirem uma audiência com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a quem pretendem expor seu ‘mal-estar’ pela ‘pouca atenção’ do governo aos planos de reforma agrária, que segundo a organização estão paralisados.

Publicidade

Segundo a Fetraf, pelo menos 20 mil famílias dessa organização estão acampadas à beira de estradas de todo o país à espera de distribuição de terras.

Ferreira assegurou a jornalistas que no ano passado ‘praticamente não ocorreram novos assentamentos’, o que significa um ‘desprezo pela situação de milhares de trabalhadores’ que vivem na miséria.

‘A pequena agricultura é importante para a economia e produz os alimentos que podem acabar com a fome e a pobreza no país’, declarou.

Fontes do ministério disseram à Agência Efe que o vice-ministro de Fazenda, Nelson Barboza, deve reunir com os manifestantes para analisar suas exigências e negociar a desocupação do edifício. EFE

Publicidade