Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Total de mortes sobe para 66 após passagem de tufão pelo Japão

Centenas de milhares de japonesas estão sem luz nem acesso a água potável; 110.000 socorristas atuam nas áreas afetadas

Por Da Redação - Atualizado em 15 out 2019, 04h36 - Publicado em 14 out 2019, 14h07

A passagem do tufão Hagibis deixou 66 pessoas mortas, ao menos 15 desaparecidas e 204 feridas em sua passagem pelo Japão, de acordo com novo balanço feito pela emissora de televisão NHK. A tempestade atingiu o país na noite de sábado 12 com ventos de até 200 km/h, causando deslizamentos de terra e inundações.

O governo mobilizou 110.000 socorristas, sendo 31.000 militares, para as áreas afetadas na tentativa de localizar os desaparecidos e de aliviar os danos feitos pela tempestade.

“Ainda há muitas pessoas desaparecidas. As equipes estão fazendo o possível para localiza-las e salvá-las, estão trabalhando dia e noite”, disse o primeiro-ministro Shinzo Abe em reunião de emergência nesta segunda-feira, 14.

A operação de resgate continua apesar das ameaças de novas tormentas atingirem o país. Os meteorologistas japoneses alertaram que há chances de novas chuvas na região central e no leste, o que aumenta os riscos de deslizamentos de terra e inundações.

Publicidade

“Hoje é esperada chuva nas áreas atingidas pelo desastre”, disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, que pediu à população que “permaneça totalmente vigilante”.

Cerca de 135.000 famílias no país estão sem eletricidade nem acesso a água potável. Outras milhares que escolheram buscar um teto seguro em abrigos públicos para esperar a passagem da tempestade podem ficar por tempo indeterminado nesses lugares porque não há garantias de que suas casas resistiram à tempestade.

Um total de 176 rios transbordaram, principalmente no norte e no leste do Japão, e um dique desmoronou na região de Nagano, descarregando as águas do rio Chikuma para uma zona residencial, cujas casas foram inundadas.

Em alguns lugares, helicópteros resgatavam moradores refugiados em suas varandas ou nos telhados, enquanto equipes a bordo de barcos trafegavam pelas águas barrentas entre as casas em busca de pessoas presas.

Publicidade

As vítimas do tufão incluem pelo menos sete tripulantes de um navio de carga que afundou no sábado nas águas revoltas da Baía de Tóquio. Quatro outros foram salvos, e um décimo segundo ainda é procurado, disse um porta-voz da Guarda Costeira.

A tempestade também causou o cancelamento de três partidas da Copa do Mundo de Rugby, sediada pelo Japão. No entanto, a partida decisiva entre os anfitriões e a Escócia foi realizada no domingo à noite, e a equipe nacional trouxe algum conforto ao país ao vencer por 28-21. O time estará nas quartas de final do torneio pela primeira vez em sua história.

Antes do início da partida, os torcedores e jogadores dedicaram um minuto de silêncio aos afetados e a equipe japonesa dedicou sua vitória às vítimas do tufão. “Para todos os que sofreram com o tufão, esta vitória é de vocês”, afirmou o capitão da equipe japonesa, o neo-zelandês Michael Leitch.

(Com AFP)

Publicidade