Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Theresa May promete renunciar se acordo sobre Brexit for aprovado

"Estou preparado para deixar este trabalho mais cedo do que pretendia, a fim de fazer o que é certo para o nosso país e nosso partido", afirmou a premiê

Por Da Redação Atualizado em 27 mar 2019, 15h31 - Publicado em 27 mar 2019, 15h08

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou nesta quarta-feira, 27, que irá renunciar ao cargo antes da próxima fase das negociações sobre o Brexit. A medida teria sido o preço exigido por parte da bancada conservadora na Câmara dos Comuns para a aprovação do acordo fechado por ela com a União Europeia (UE).

A premiê ainda busca conquistar maioria no Parlamento britânico para aprovar esse acordo, provavelmente em sessão nesta quinta-feira, 28.

“Eu sei que há um desejo por uma nova abordagem e uma nova liderança na segunda fase das negociações do Brexit, e eu não vou ficar no caminho disso”, disse ao Parlamento.

“Estou preparado para deixar este trabalho mais cedo do que pretendia, a fim de fazer o que é certo para o nosso país e nosso partido. Eu peço a todos nesta sala que apoiem este acordo para que possamos completar o nosso dever histórico – completar uma decisão tomada pelo povo britânico de sair da União Europeia de uma forma suave e ordenada”, afirmou ainda.

  • May não definiu uma data para sua renúncia. Um parlamentar presente da sessão ouvido pela agência Reuters, contudo, afirmou que a impressão que ficou após o discurso é a de que a premiê deve abdicar do cargo “razoavelmente em breve”.

    Continua após a publicidade

    A primeira-ministra falou aos parlamentares nesta quarta pouco antes da votação de oito opções alternativas sobre o Brexit. As propostas foram apresentadas depois que na segunda-feira 25 a Câmara aprovou uma emenda que dá o controle do cronograma da Casa em torno das discussões sobre o processo de saída do país da União Europeia aos próprios parlamentares.

    Entre as alternativas colocadas para votação estão propostas como a de deixar o bloco sem um acordo formal em 12 de abril e buscar um pacto de “mercado comum 2.0”,  que incluiria a adesão ao mercado único europeu e a um acordo alfandegário. Também será votado um plano que propõe um referendo para confirmar um futuro acordo sobre o Brexit, assim que um texto for aprovado pelo Parlamento.

    O resultado será anunciado ainda nesta quarta-feira, depois que os debates terminarem às 21h (horário de Brasília), disse o presidente da Câmara, John Bercow.

    Na semana passada, líderes da UE concederam aos britânicos uma prorrogação curta do prazo do Brexit, de 29 de março para 12 de abril. Se até a nova data o Parlamento conseguir aprovar um acordo, o bloco europeu estenderá a saída ainda mais – para 22 de maio – para que Londres consiga aprovar todas as legislações domésticas necessárias para a separação.

    May já colocou em votação seu acordo com a União Europeia por duas vezes. Em ambas as tentativas, sua proposta foi recusada pelos parlamentares.

    Nesta segunda-feira, a premiê reconheceu ainda não ter apoio suficiente para uma terceira votação do seu acordo. Desde a manhã desta quarta, contudo, já se falava que May poderia prometer uma renúncia em troca da aprovação do texto. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade