Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Texas revoga obrigatoriedade de máscaras e anuncia reabertura total

Medida, também anunciada pelo estado do Mississipi, foi adotada apesar de advertências das principais autoridades médicas

Por Da Redação 3 mar 2021, 14h44

O governador do estado americano do Texas, o republicano Greg Abbott, suspendeu o uso obrigatório de máscaras e permitiu a reabertura de todos os estabelecimentos do estado na terça-feira, 2, apesar de advertências das autoridades médicas em meio à pandemia do novo coronavírus. Pouco depois, no mesmo dia, o governador do Mississipi, Tate Reeves, adotou as mesmas medidas.

“Muitos texanos foram privados de oportunidades de emprego. Muitos proprietários de pequenos negócios têm lutado para pagar as contas. Isso tem de acabar. Está na hora de abrir o Texas 100%. Além disso, dou fim à ordem da máscara”, disse Abbott durante evento na cidade de Lubbock.

O republicano argumenta que o bom ritmo da vacinação é motivo suficiente para a abertura, adiantando que mais de 7 milhões de doses serão aplicadas já na semana que vem. Apesar disso, Abbott pediu “responsabilidade social” e obediência às recomendações médicas. As medidas passam a valer a partir do dia 10 de março.

No Mississipi, Reeves usou como argumento a queda de casos da Covid-19 no país. “Nossas hospitalizações e números de casos desabaram, ao mesmo tempo que a vacina está sendo rapidamente distribuída. A hora é agora”, escreveu em sua conta no Twitter.

Na última semana, os Estados Unidos aprovaram o uso da vacina fabricada pela Johnson & Johnson para uso emergencial e registraram uma queda grande no número de casos e mortes, principalmente em relação a janeiro, mês de recordes negativos. O Texas e o Mississipi se juntam a outros 12 estados que não contavam com obrigatoriedade do uso de máscaras, como Flórida e Arizona.

Apesar dos números apresentarem quedas, os EUA ainda registram uma média de 70 mil casos diários. Rochelle Walensky, diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), disse estar “profundamente preocupada” com o que A  queda pode representar.

“Setenta mil casos parece um ótimo número se comparado com o que vivemos alguns meses atrás, mas nós não podemos nos conformar com 70 mil pessoas doentes por dia e duas mil mortes diárias”, disse a diretora. “Na atual conjuntura, com as variantes se espalhando, nós podemos facilmente perder todos os avanços que conquistamos com muita dificuldade. Não é hora de relaxar as medidas restritivas que sabemos que são fundamentais, ainda mais agora que estamos tão perto”, completou.

Os EUA são o país mais afetado pela Covid-19, registrando mais de 28,7 milhões de casos, incluindo 515.710 mortes. O Texas é o terceiro estado mais atingido, atrás apenas de Nova York e Califórnia, contabilizando 44.353 mortes. Até o dia 2 de março, mais de 78 milhões de americanos haviam recebido ao menos uma dose da vacina.

Continua após a publicidade

Publicidade