Clique e assine a partir de 9,90/mês

Terremoto de 7 graus no Peru tem reflexos no Brasil

Por Ernesto Benavides - 24 ago 2011, 20h55

Um terremoto de 7 graus na escala Richter sacudiu esta quarta-feira o território peruano e foi percebido claramente no Brasil, mas não provocou vítimas ou danos significativos, segundo as autoridades.

“O movimento foi de 7,0 graus na escala Richter às 12H46 (locais, 14H46 de Brasília), com epicentro (situado) 44 km a sudeste de Contamana (região de selva), a 149 km de profundidade”, afirmou Hernando Tavera, chefe do Instituto Geofísico do Peru, à AFP.

O Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília informou que o tremor foi sentido em algumas cidades e áreas povoadas do Acre, incluindo a capital Rio Branco, mas não há informação sobre danos na região.

“Foi um terremoto mais ou menos forte, o que significa que pode ser sentido em um raio de 1.000 km, mas como foi muito profundo e em uma área pouco povoada, o impacto acabou muito atenuado”, disse à AFP a chefe do Observatório de Brasília, Lucas Vieira Barros.

Continua após a publicidade

Guillermo Alvizuri, diretor de operações da Defesa Civil, disse a meios de comunicação locais que “até o momento não há informação de danos materiais, ou vítimas. Neste momento, nenhuma das maiores cidades registrou danos, nem mesmo Pucallpa”, capital mais próxima do epicentro, a 80 quilômetros do local.

“Foi sentido com força, mas não há danos reportados, exceto algumas interrupções em linhas telefônicas”, acrescentou.

Segundo Alvizuri, as autoridades estão tentando entrar em contato com os povoados menores, como a própria Contamana, uma cidade de 17.000 habitantes, na Amazônia.

Tavera disse, por sua vez, que apesar de ter sido um sismo de 7 graus, não foi sentido com tanta força devido à profundidade do epicentro (149 km).

Continua após a publicidade

“Pode-se considerar que é um sismo de intensidade moderada pela profundidade que teve”, disse Tavera.

“É o sismo mais forte que tivemos no Peru este ano e se deveu a um deslocamento da placa de Nazca”, acrescentou, confirmando ser “pouco provável que tenham ocorrido danos”.

Em Lima, o tremor foi sentido com intensidade regular, balançando por alguns segundos os edifícios mais altos.

Publicidade