Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tensão marca debate entre candidatos a primeiro-ministro do Reino Unido

Brexit dominou discussões entre Jeremy Hunt e Boris Johnson

Boris Johnson e Jeremy Hunt, os dois candidatos remanescentes ao cargo de primeiro-ministro do Reino Unido, participaram do único debate cara a cara previsto pelos britânicos nesta terça-feira 9. A saída britânica da União Europeia (UE) dominou as discussões, que se tornaram tensas ao longo da transmissão.

Hunt, ministro das Relações Exteriores, e o ex-prefeito de Londres e também ex-chanceler Johnson participam de uma corrida cujo vencedor será conhecido em 23 de julho, depois que os 160.000 militantes do Partido Conservador britânico tiverem eleito nas primárias o futuro premiê.

Enquanto Johnson jogou a carta do otimismo, Hunt apelou para a honestidade no debate da emissora ITV. “Quero saber até que ponto são sólidos os seus compromissos – se não nos tirar da União Europeia em 31 de outubro, você vai se demitir?”, disparou o atual ministro ao ex-prefeito.

Desde o começo de sua campanha, Johnson reiterou que o Reino Unido sairá da União Europeia em 31 de outubro, com um acordo renegociado do Brexit ou até mesmo sem ele.

A data do divórcio com a UE foi adiada de 29 de março para 31 de outubro, depois que o acordo alcançado por Theresa May em novembro foi rechaçado três vezes pelo Parlamento britânico.

Embora inicialmente tenha evitado responder, Johnson, que assegurou que o Reino Unido deixaria o bloco continental em outubro, por fim acabou declarando: “Não quero gerar expectativas na UE de que poderiam incentivar minha demissão caso se recusem a fechar um acordo.”

“Boris em Downing Street, então isso é a única que coisa que importa”, respondeu Hunt.

Os dois candidatos querem voltar a negociar com a UE o acordo de Theresa May, algo que o bloco descarta.

Durante o debate, Hunt quis destacar seus dotes de negociador como ex-empresário de sucesso, enquanto Johnson enalteceu sua determinação ante Bruxelas para não ceder em nada.

“Não acho que terminemos com uma saída sem acordo”, disse Johnson, embora tenha relativizado que os custos de deixar o bloco sem pacto seriam “muito pouco perceptíveis, se estivermos preparados”.

O Reino Unido “precisa de um pouco de otimismo, francamente”, afirmou. “Já demonstramos derrotismo demais”, continuou, ao que Jeremy Hunt retrucou, acusando-o de ter como único problema um “otimismo cego”.

“Se quisermos fazer com que o Brexit tenha êxito, não se trata de mostrar um otimismo cego, mas compreender os detalhes que nos permitam obter o acordo mais bem adaptado ao nosso país”, defendeu Hunt, destacando que tinha um plano de dez passos em caso de uma saída sem acordo.

A eleição interna do Partido Conservador é feita em etapas. Ao longo das últimas semanas, os candidatos ao cargo foram sendo eliminados da corrida, de acordo com seus resultados nas pesquisas de opinião. A menos de duas semanas para a votação final, somente Johnson e Hunt continuam na disputa.

No primeiro debate, que aconteceu em 16 de junho, Boris não compareceu. Além de Hunt, participaram outros quatro candidatos que ainda estavam na corrida na época.

(Com AFP)