Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tensão entre Damasco e Ancara adquire dimensão internacional

A Turquia obteve uma reunião da Otan, que será realizada na terça-feira, depois que um de seus aviões caça foi derrubado pela Síria, dando uma nova dimensão internacional à crise no país, onde o balanço da violência aumenta a cada dia.

Ancara, que acusa Damasco de ter derrubado o avião sem advertência quando ele voava no espaço aéreo internacional, e não no espaço aéreo sírio, entregou uma nota de protesto oficial à Síria.

Já a Síria afirmou que o avião “violou a soberania síria”, afirmou nesta segunda-feira o porta-voz da chancelaria do país, Khihad Makdessi.

“O avião militar turco violou o espaço sírio, as defesas aéreas sírias responderam e (a aeronave) caiu em águas territoriais sírias. O ocorrido é uma violação flagrante da soberania síria”, acrescentou Makdessi em uma coletiva de imprensa.

Os principais países ocidentais, liderados por Estados Unidos e França, se mobilizaram, considerando inaceitável este ato grave.

A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, prometeu trabalhar com Ancara para uma reação apropriada a este incidente que ela classificou de “descarado”, denunciando a ausência de respeito pelas “leis internacionais, pela vida humana, pela paz e pela segurança” por parte das autoridades sírias.

Seu colegao francês, Laurent Fabius, também denunciou na segunda-feira um ato inaceitável.

“Este avião estava desarmado e realizava um voo de rotina. Foi derrubado sem que tenha havido uma advertência prévia”, disse.

Em terra, os últimos dias foram particularmente sangrentos, com quase uma centena de mortes a cada dia.

No domingo, a repressão e os combates entre o exército e os rebeldes deixaram ao menos 91 mortos em todo o país, dos quais 59 civis, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Nesta segunda-feira, as forças do regime bombardearam os bairros da cidade rebelde de Homs (centro), onde um civil morreu durante a noite por disparos de um franco-atirador.