Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Teerã: estudantes realizam 3º ataque à embaixada britânica

Prédio foi esvaziado; ocupantes diziam que só sairiam por ordem de Khamenei

Estudantes islâmicos atacaram nesta terça-feira pela terceira vez a embaixada da Grã-Bretanha em Teerã, apesar das tentativas da polícia de mantê-los fora do local, informou a agência Fars. Segundo ela, os estudantes mantiveram retidos durante a tarde seis funcionários da embaixada britânica não identificados, que foram libertados pela polícia e entregues a um representante da Grã-Bretanha depois das 19 horas (13h30 de Brasília). Alguns veículos da imprensa local afirmam que a situação na área teria se normalizado por volta das 20h15 (14h45 de Brasília), quando os agentes investiram contra os estudantes e esvaziaram a embaixada e suas imediações.

A agência oficial Irna informou que membros da polícia e estudantes negociavam dentro do jardim da embaixada a desocupação da sede diplomática, onde permanecia um grupo de ocupantes. Os estudantes disseram à agência que tiraram “documentos muito importantes” da embaixada britânica e que a transferiram para um “lugar seguro”. Segundo a Irna, os ocupantes asseguravam que só sairão do local por ordem do líder supremo da República Islâmica, o aiatolá Ali Khamenei.

A agência local Mehr declarou que a polícia utilizou gás lacrimogêneo e outros materiais antidistúrbios contra os manifestantes concentrados na zona da residência do embaixador e da embaixada britânicas. A polícia, segundo essa mesma agência, mantém detidos os manifestantes capturados nas duas instalações diplomáticas britânicas, onde a Fars informou que ficaram feridas dezenas de pessoas.

Comunicado oficial – O Ministério de Relações Exteriores do Irã, de acordo com a Mehr, manifestou em comunicado que lamenta o “comportamento inaceitável” de alguns manifestantes nas instalações diplomáticas britânicas. A nota afirmou que os fatos aconteceram “apesar dos esforços da polícia” e do reforço das medidas de proteção da Embaixada. Também pede que sejam adotadas as medidas necessárias para acabar com o problema “de forma urgente”. O documento ressaltou o respeito do Ministério de Relações Exteriores do Irã pela legislação internacional e pela imunidade do pessoal e dos recintos diplomáticos.

Precedente – Mais cedo, também nesta terça-feira, dezenas de manifestantes iranianos invadiram a embaixada britânica em protesto contra as sanções de Londres ao programa nuclear iraniano. O episódio ocorre um dia depois de o Irã aprovar uma legislação que diminui as relações diplomáticas com o governo britânico, em retaliação ao recente boicote às instituições financeiras e empresas iranianas adotado por Londres e Washington para pressionar o país islâmico a interromper seu programa nuclear, altamente suspeito de desenvolver armas atômicas segundo relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Em resposta, o governo britânico condenou o protesto, a que chamou de ‘inaceitável’, e pediu ao Executivo iraniano que defenda seus diplomatas em serviço no país.

(Com agência EFE)