Clique e assine a partir de 8,90/mês

Talibãs dizem que Otan sofreu derrota no Afeganistão

Em um comunicado, os terroristas chamaram os ocidentais de "arrogantes"

Por Da Redação - 29 dez 2014, 07h32

O fim da missão de combate das tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão é uma derrota e uma decepção para a coalizão internacional, disseram nesta segunda-feira os talibãs afegãos, um dia após a cerimônia que encerrou treze anos de uma complexa e custosa intervenção militar. “Consideramos esta etapa como uma indicação clara de sua derrota e sua decepção”, disseram os talibãs em um comunicado em inglês. “Os Estados Unidos e seus aliados invasores, assim como todas as organizações internacionais arrogantes, sofreram uma derrota evidente nesta guerra assimétrica”, acrescentou o comunicado dos insurgentes, que acusam a Otan de ter afundado o país em um banho de sangue.

A Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês) da Otan arriou suas bandeiras neste domingo, colocando fim às missões de combate. No entanto, a Otan manterá uma presença militar de 12.500 homens no Afeganistão no âmbito da missão “Apoio Decidido” de ajuda e formação do exército afegão que começará em 1º de janeiro.

Leia também

Cerimônia marca fim da missão da Otan no Afeganistão

EUA repatriam quatro afegãos detidos em Guantánamo

Leia mais

Afeganistão, a guerra sem fim

Segundo a ONU, o número de vítimas civis no Afeganistão em 2014 está prestes a superar os 10.000, o que constitui o pior ano desde 2009. Os EUA indicaram que 2014 foi o pior ano para os soldados e policiais afegãos com 4.600 mortos nos primeiros dez meses. Diante da saída das tropas da Otan, o presidente afegão, Ashraf Ghani, convocou os talibãs para negociações de paz. Mas os talibãs negam-se a discutir diretamente com as autoridades de Cabul.

(Com agência France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade