Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Talibã afirma que meninas voltarão em breve para a escola

'Em muito pouco tempo todas as universidades e escolas serão reabertas e todas as meninas e mulheres retornarão'

Por Ernesto Neves Atualizado em 18 out 2021, 14h32 - Publicado em 18 out 2021, 13h50

Responsável pelo controle do Afeganistão desde a saída das tropas americanas, em agosto, o grupo Talibã afirmou nesta segunda-feira (18) que permitirá a volta de meninas à escola em breve.

A afirmação foi feita por Saeed Khosty, porta-voz do Ministério do Interior, à rede de TV árabe Al Jazeera. Khosty disse ainda que o anúncio deve acontecer nos próximos dias pelo Ministério da Educação. Ele, no entanto, não especificou um calendário. 

“Pelo meu entendimento e informação, em muito pouco tempo todas as universidades e escolas serão reabertas e todas as meninas e mulheres retornarão às escolas e aos seus empregos de professor”, disse.

Desde a tomada do país pelo Talibã, há dois meses, mulheres de todas as idades vêm sendo orientadas a ficar em casa, o que inclui deixar de ir à escola.

O grupo vinha afirmando que o retorno só seria possível quando houvesse um “ambiente de aprendizagem seguro”. 

Essa postura fez ressurgir os temores que o Talibã voltaria a adotar versões mais radicais da sharia, a lei islâmica, como o fez durante sua passagem pelo poder, entre 1996 e 2001.  

Na época, mulheres eram proibidas de sair de casa desacompanhadas por um homem. Também havia açoitamentos e execuções públicas para quem desobedece às regras impostas pelos insurgentes.

No início do mês, o secretário–geral da ONU, António Guterres, afirmou que o grupo vem quebrando a promessa de respeitar os direitos civis das mulheres. 

“Promessas rompidas levam a sonhos partidos para as mulheres e meninas do Afeganistão”, disse o chefe da ONU. “Mulheres e meninas precisam estar no centro das atenções”, completou. 

Continua após a publicidade

Publicidade