Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Suu Kyi confirma candidatura ao Parlamento de Mianmar

Por Da Redação 10 jan 2012, 02h48

Bangcoc, 10 jan (EFE).- A líder da oposição birmanesa e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, confirmou que concorrerá ao Parlamento de Mianmar, indicaram nesta terça-feira fontes de seu partido, a Liga Nacional para a Democracia (LND).

O porta-voz da LND, Nyan Win, indicou que Suu Kyi tentará uma cadeira pelo distrito de Kawhmu, em Yangun, a maior cidade do país, dentro do pleito parcial destinado a preencher 48 assentos vagos no Parlamento nacional e nos regionais em 1º de abril.

A Nobel da Paz, que nesta segunda-feira foi nomeada presidente da formação, aspira a se transformar em líder dos grupos opositores dentro do Parlamento.

Em dezembro, a Comissão Eleitoral birmanesa autorizou o registro legal da LND, que foi ilegalizada após seu boicote às eleições de 2010, vencidas pelo partido afim aos militares em processo criticado pela falta de transparência.

A ‘Dama’, como é conhecida pela maioria dos birmaneses, não participa de eleições democráticas em seu país desde 1989, quando foi posta sob prisão domiciliar para impedir sua candidatura no pleito legislativo do ano seguinte.

Mesmo com sua líder detida, a LND venceu as eleições por maioria arrasadora, mas a Junta Militar nunca reconheceu os resultados e se apegou ao poder nas duas décadas seguintes.

Nas eleições parlamentares de novembro de 2010, Suu Kyi seguia sob prisão domiciliar e seu partido não concorreu por considerar o pleito um estratagema dos generais para manter-se no Governo.

Alguns dias depois das eleições a Nobel da Paz foi liberada, após passar quase 15 dos últimos 22 anos sob prisão domiciliar por pedir reformas democráticas de forma pacífica.

Mianmar atravessa agora uma etapa de reformas desde a dissolução da Junta Militar, em março de 2011, e a formação de um Governo civil, embora esteja integrado em sua maioria por antigos generais e coronéis. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade