Clique e assine a partir de 9,90/mês

Suu Kyi chega ao norte da Tailândia para visitar refugiados birmaneses

Por Da Redação - 2 jun 2012, 03h22

Mae Sot (Tailândia), 2 jun (EFE).- A líder da oposição birmanesa, Aung San Suu Kyi, chegou neste sábado ao norte da Tailândia para visitar as dezenas de milhares de compatriotas seus que há décadas vivem em campos de refugiados nessa zona.

A Nobel da Paz, de 66 anos, passou rapidamente pela localidade de Mae Sot antes de seguir rumo ao acampamento de Mae Lae, que com cerca de 40 mil pessoas, a maioria da etnia karen, é o maior dos localizados na faixa fronteiriça da Tailândia com Mianmar.

O exílio birmanês em Mae Sot aguardava com expectativa essa anunciada visita da ‘Dama’, como seus seguidos a chamam carinhosamente, desde que chegou em Bangcoc, na terça-feira passada, para participar do Fórum Econômico Mundial sobre a Ásia Oriental.

As autoridades da Tailândia calculam que cerca de 200 mil birmaneses moram em acampamentos e aldeias ao longo da faixa fronteiriça, enquanto as agências internacionais de ajuda humanitária calculam em 130 mil, a maioria da etnia karen, os que vivem apenas em campos de refugiados.

A etnia karen entrou em guerra contra o Governo de Mianmar pelo desrespeito a sua autonomia e a outros direitos desde a independência do país, em 1948.

Continua após a publicidade

Suu Kyi indicou nesta sexta-feira, em uma de suas participações no fórum econômico, que a solução para o conflito com as minorias étnicas em seu país se baseia no respeito e na confiança, e se mostrou confiante de que é possível uma convivência pacífica em seu país.

Na quarta-feira, a Nobel da Paz visitou uma parte dos dois milhões de imigrantes birmaneses, legais e ilegais, que trabalham na Tailândia.

‘Hoje farei uma promessa: tentarei fazer o melhor por vocês’, disse Suu Kyi a milhares de emocionados compatriotas que foram ao seu encontro na cidade de Mahachai, a 45 quilômetros de Bangcoc e lar da maior comunidade de imigrantes birmaneses em solo tailandês.

Suu Kyi, que em pouco mais de um ano passou da condição de prisioneira política a parlamentar, deve concluir no domingo sua visita à Tailândia, em sua primeira viagem ao exterior em 24 anos. EFE

jcp/pa

Continua após a publicidade
Publicidade