Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Suspeitos do atentado são vistos no norte da França

Os irmãos Cherif e Said Kouachi foram vistos em um automóvel Renault Clio cinza por um gerente de um posto de gasolina. Eles estão armados

Por Da Redação 8 jan 2015, 08h56

(Atualizado às 14h27)

Os dois irmãos suspeitos do atentado contra a revista satírica Charlie Hebdo foram vistos nesta quinta-feira pela manhã no norte da França, quando estavam a bordo de um automóvel Renault Clio cinza, reporta a imprensa francesa. O gerente de um posto de combustível situado perto de Villers-Cotterêts, na região francesa da Picardia, “reconheceu os dois homens suspeitos de terem participado do ataque contra a Charlie Hebdo“, explicou uma fonte policial ouvida pela agência France-Presse (AFP).

As informações sobre o paradeiro dos dois irmãos apontam vários locais, incluindo uma casa em Crépy-en-Valois, que estaria cercada por policiais. A localidade fica na região francesa da Picardia, nordeste de Paris, onde o alerta de segurança foi elevado para o nível máximo. Conforme o jornal Le Figaro, a área de busca em Crépy-en-Valois não se concentra apenas na residência, estendendo-se por uma área de 20 quilômetros. Também há informações apontando para buscas em Longpont e na vizinha Corsy, ainda na região da Picardia.

Segundo o jornal Libération, “vários” helicópteros da polícia, defesa civil e Exército sobrevoam a região em busca do dos suspeitos. Milhares de policiais e tropas das forças de segurança também participam da operação, por terra. “Os dois homens estão encapuzados e armados”, confirmou a fonte à AFP. “As brigadas francesas de segurança receberam a ordem de se equipar com fuzis de assalto e com equipamentos de proteção”, acrescentou.

O ministro do Interior do país, Bernard Cazeneuve, disse à emissora de rádio Europe 1 mais cedo nesta quinta-feira que “estamos diante de um risco extraordinário que poderia levar a outros incidentes violentos”. Os comentários vieram logo antes de um tiroteio em Montrouge, no sul de Paris nesta quinta, deixar uma policial morta e outra pessoa ferida. Ainda não está claro se o tiroteio está relacionado com o atentado em Paris. O ex-ministro do Interior, Claude Guéant ressaltou à France Info que “não há dúvida que eles serão detidos”.

Leia também

Explosão destrói restaurante ao lado de uma mesquita, no oeste da França

Continua após a publicidade

Polícia francesa prende 7 pessoas por relação com ataque

Um dos três suspeitos do atentado terrorista em Paris se entrega

Os irmãos Cherif e Said Kouachi, suspeitos do ataque contra a redação da revista estavam sendo monitorados pela inteligência francesa por causa de seu extremismo religioso. “O serviço secreto os conhecia”, afirmou o primeiro-ministro da França, Manuel Valls. O político, porém, frisou que “centenas” de pessoas são monitoradas por possíveis relações com o terrorismo e que não é possível controlar todas elas. “Não existe risco zero”, admitiu.

Um terceiro suspeito, Mourad Hamyd, que pode ter sido o motorista de fuga, se entregou à polícia em Charleville-Mézières, no norte da França na noite desta quarta-feira. Hamyd, de 18 anos, é cunhado de Cherif Kouachi. Ele se apresentou à polícia “ao ver que seu nome circulava nas redes sociais”, explicou à agência France-Presse uma fonte próxima ao caso.

Leia mais

Irmãos Kouachi eram monitorados pela inteligência francesa

Saiba quem são as 12 vítimas do ataque contra a ‘Charlie Hebdo’

Último número de revista trouxe charge premonitória

Continua após a publicidade
Publicidade