Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Suspeito de atentado teria treinado com a Al Qaeda no Iêmen

Fontes na França e nos Estados Unidos afirmam que Said Kouachi, de quem não se tinha muitas informações, teria passado alguns meses com uma das células mais ativas do grupo terrorista

Por Da Redação 8 jan 2015, 21h26

Um dos dois irmãos suspeitos de terem realizado o atentado contra a sede da revista satírica Charlie Hebdo em Paris viajou ao Iêmen em 2011 para ser treinado pela rede terrorista Al Qaeda, segundo informações de fontes oficiais na Europa e nos Estados Unidos. Um funcionário do governo americano afirmou à rede CNN que os EUA receberam informações da inteligência francesa sobre a viagem. O relato também foi confirmado pelo jornal The New York Times.

Said Kouachi, de 34 anos, teria passado alguns meses no Iêmen, país que abriga a mais ativa célula do grupo terrorista, a Al Qaeda na Península Árabe (AQAP). Um oficial do Iêmen afirmou que o governo do país sabia da possibilidade de existir uma conexão entre Said e a célula da Al Qaeda e estava analisando as possíveis ligações.

Leia também:

Como Cherif Kouachi se tornou o homem mais procurado da França

Irmãos Kouachi eram monitorados pela inteligência francesa

Torre Eiffel fica às escuras em homenagem a vítimas de atentado

União Europeia prepara novo plano antiterror

Ainda não foram encontrados indícios de que a AQAP dirigiu, ordenou ou acompanhou o ataque em Paris. “Nós sabemos que eles foram inspirados (pelo grupo), mas não sabemos a extensão a que foram associados com a Al Qaeda”, disse um funcionário da inteligência dos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Uma revista em inglês publicada pela AQAP divulgou uma lista de “procurados” que incluía o nome do cartunista Stéphane Charbonnier, o Charb, editor da Charlie Hebdo e uma das vítimas do atentado desta quarta-feira.

Leia mais:

Saiba como aconteceu o atentado em Paris

Disfarce – Depois de voltar à França, Said e o irmão Cherif aparentemente se afastaram de quaisquer atividades que pudessem chamar a atenção dos serviços de inteligência. Nos últimos meses, os dois não estavam entre as prioridades das agências contraterrorismo francesas.

Na época em que o treinamento foi realizado, um dos chefes da célula terrorista era Anwar al Awlaki, clérigo americano que estimulava ataques terroristas a partir do Iêmen e que foi morto em setembro de 2011 em um ataque realizado com um drone americano. (Continue lendo o texto)

A ministra da Justiça da França, Christiane Taubira, disse à CNN que um dos irmãos viajou ao Iêmen em 2005, mas não revelou qual dos dois fez a viagem. “É muito importante ter certeza antes de falar porque não queremos provocar pânico nas pessoas. É muito importante para nós garantir a segurança para todo o povo francês e, ao mesmo tempo, temos de ser muito sérios e estar muitos seguros de tudo o que dizemos”.

Também está sendo investigada a possibilidade de um dos irmãos ter viajado à Síria no ano passado. Uma fonte próxima aos serviços de segurança da França informou à rede americana que as autoridades tentam verificar se o suspeito filiou-se ao Estado Islâmico.

Caçada – As buscas pelos irmãos Kouachi continuam na França. A mais recente operação se concentrou na região de Longpont e também em Crépy-en-Valois. Há suspeitas de que os dois estejam fugindo a pé pela floresta. Segundo a imprensa francesa, a polícia está usando helicópteros com equipamentos de visão noturna para seguir com a caçada. Ao longo do dia, nove pessoas foram detidas para interrogatório.

Mapa da área de buscas por suspeitos de envolvimento no atentado contra sede de revista em Paris
Mapa da área de buscas por suspeitos de envolvimento no atentado contra sede de revista em Paris VEJA

(Com agência Reuters e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade