Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sul-africana que roubou bebê é condenada a 10 anos de prisão

Identidade da criança, sequestrada há 19 anos, foi revelada depois que ela se tornou amiga de sua irmã biológica e semelhança chamou atenção da família

Uma mulher que sequestrou um bebê de um hospital há dezenove anos e criou a menina como se fosse sua filha foi condenada a 10 anos de prisão nesta segunda-feira na Cidade do Cabo, na África do Sul.

A pequena Zephany Nurse foi roubada do hospital com apenas três dias de vida em 1997. Ela ganhou um novo nome, que a Justiça sul-africana proibiu de ser divulgado, e vivia com a sequestradora e o homem que acreditava ser seu pai a pouco menos de 2 km da casa de seus pais biológicos.

LEIA TAMBÉM:
Boko Haram divulga vídeo com supostas adolescentes de Chibok

Sua verdadeira identidade foi descoberta em fevereiro de 2015, quando Zephany tornou-se amiga de sua irmã biológica, que estudava no mesmo colégio, e a semelhança entre as duas chamou a atenção da família Nurse. Um teste de DNA confirmou se tratava da menina raptada da maternidade, o que levou à prisão da sequestradora, atualmente com 52 anos.

Ao anunciar a sentença, o juiz John Hlophe disse que o crime foi premeditado e condenou o fato de a sequestradora manter sua versão de que havia comprado a bebê de uma mulher que lhe disse que seus pais biológicos não queriam a criança, informou uma agência de notícias local. “Esperava-se que, no mínimo, você se desculpasse, mas você escolheu não fazer isso”.

A imprensa local relatou discussões entre a família Nurse e a sequestradora no tribunal. Após o esclarecimento do sequestro, Zephany preferiu ir morar com o marido da mulher que a roubou, que ela pensava ser seu pai biológico.