Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Submarino com 53 tripulantes perde contato e desaparece na Indonésia

Segundo chefe do Exército indonésio, embarcação KRI Nanggala 402 participava de exercício de simulação relacionado ao uso de torpedos

Por Da Redação Atualizado em 21 abr 2021, 11h49 - Publicado em 21 abr 2021, 11h45

Autoridades da Indonésia anunciaram nesta quarta-feira, 21, o desaparecimento de um submarino com 53 pessoas a bordo, ao norte da ilha de Bali. Segundo o marechal Hadi Tjahjanto, chefe do Exército indonésio, o KRI Nanggala 402 participava de um exercício de simulação relacionado ao uso de torpedos do veículo.

Ao jornal Daily Star, Tjahjanto afirmou que o contato com o submarino foi perdido “imediatamente” após a autorização de mergulho, às 4h30, no horário local. A embarcação levava 49 tripulantes, um comandante e mais três encarregados dos torpedos.

Em comunicado, o Ministério da Defesa confirmou a afirmação, acrescentando que um helicóptero mais tarde avistou uma mancha de olho perto da posição inicial de mergulho. A simulação era parte de testes para um exercício que aconteceria na quinta-feira com presença de líderes militares.

Acredita-se que o submarino desapareceu em águas a 95 quilômetros ao norte de Bali e teria afundado 700 metros.

O submarino KRI Nanggala-402 de 60 metros de comprimento foi construído na Alemanha em 1978 e está em serviço na Indonésia desde 1981. A embarcação passou por uma reconstrução de dois anos na Coreia do Sul, finalizada em 2012. 

Segundo Tjahjanto, a Marinha enviou dezenas de navios para realizar buscas na área e já enviou um pedido de auxílio a Cingapura e Austrália, que possuem embarcações de resgate de submarinos.

Atualmente, o país possui uma frota de cinco submarinos, sendo dois alemães e três sul-coreanos. Para patrulhar as águas de seu extenso arquipélago, que engloba mais de 17.000 ilhas, planeja operar ao menos oito submarinos até 2024.

Apesar de tentativas recentes de modernizar suas capacidades de defesa, alguns dos equipamentos em serviço são velhos e há casos de acidentes mortais recentes.

Em 2016, um avião de carga da Força Aérea colidiu contra uma montanha, matando todas as 13 pessoas a bordo, durante um exercício na região de Papua. Um ano antes, em 2015, outro avião militar caiu em uma área residencial dois minutos depois de levantar voo, matando mais de 100 pessoas.

Continua após a publicidade
Publicidade