Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Sombra do Tibete reflete sobre cúpula do Brics em Nova Délhi

Por Da Redação
28 mar 2012, 09h27

Alberto Masegosa.

Nova Délhi, 28 mar (EFE).- A sombra do Tibete reflete nesta quarta-feira sobre a cúpula do grupo dos Brics – Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul -, que será aberto nesta quarta-feira em Nova Délhi horas após a morte do ativista tibetano que ateou fogo ao próprio corpo por causa da visita do presidente chinês, Hu Jintao.

Como disse à Agência Efe Tempa Tsering, porta-voz do exílio tibetano em Nova Délhi, Jamyang Yeshi, de 26 anos, morreu nesta manhã depois de permanecer hospitalizado desde segunda-feira com queimaduras em 90% do corpo.

Yeshi se soma assim aos 30 tibetanos, a maioria monges e freiras budistas, que morreram imolados na onda de protestos que começou no ano passado contra a situação no Tibete, ocupado em 1950 pelo Exército chinês.

O jovem ativista é, no entanto, o primeiro que morre depois de protestar na Índia, onde está o Governo tibetano no exílio e que com 100 mil exilados é o país com maior número de foragidos dessa região do Himalaia. Entre eles, o líder espiritual tibetano, o Dalai Lama, que fugiu em 1959 e reside em Dharamsala, no norte de Índia.

Continua após a publicidade

Após confirmar a morte de Yeshi, Tsering afirmou que não sabe se haverá novas manifestações tibetanas contra a visita de Hu, cercada por um forte esquema de segurança para evitar conflitos.

‘A Índia tem direito de convocar a cúpula, mas não podemos garantir que não haja problemas’, declarou o porta-voz tibetano, que calculou em ‘cerca de cem’ o número de exilados detidos pela Polícia indiana desde a imolação de Yeshi.

Mais de 5 mil policiais permaneciam desde o início da manhã nos pontos nevrálgicos do centro de Nova Délhi, onde ocorrerá a reunião. As forças de segurança isolaram os principais enclaves tibetanos da cidade.

Segundo testemunhas, a Polícia impedia que os exilados abandonassem seus redutos e proibia aglomerações superiores a quatro pessoas.

Continua após a publicidade

Além de Hu Jintao, assistirão à cúpula dos Brics, que começará nesta noite com um jantar oficial, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, e os presidentes da Rússia, Dmitri Medvedev; da África do Sul, Jacob Zuma; e do Brasil, Dilma Rousseff.

Fontes oficiais indianas precisaram que após as sessões de trabalho de quinta-feira será divulgada a ‘Declaração de Nova Délhi’, na qual os líderes participantes apresentarão uma postura comum em assuntos de interesse global.

As fontes apontaram que o grupo cogita a criação de um acordo interbancário para facilitar o comércio e os investimentos dos países-membros, e a criação de um banco para impulsionar o desenvolvimento, embora reconheçam que essa iniciativa ainda está engatinhando.

É esperado também que o bloco de países se pronuncie sobre a situação no Oriente Médio, em particular sobre a questão na Síria, assim como sobre a crise com o Irã pela suposta intenção do Teerã de obter armamento atômico.

Continua após a publicidade

Apesar da vontade dos membros de falar com uma só voz no cenário internacional – principalmente nos temas referentes ao Ocidente -, o bloco Brics enfrenta sérias divergência internas. O caso do Tibete materializa apenas um ponto da rivalidade da China e da Índia pela supremacia na Ásia. EFE

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.