Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Sob críticas da UE, Georgia aprova polêmica lei de ‘agentes estrangeiros’

Apelidada de 'lei russa', norma exige que organizações que recebem 20% ou mais do financiamento pelo exterior sejam fiscalizadas com mais dureza

Por Da Redação
14 Maio 2024, 14h46

O Parlamento da Georgia aprovou nesta terça-feira, 14, a polêmica lei de “agentes estrangeiros”, alvo de críticas da oposição e da União Europeia. Na prática, a norma exige que organizações que recebam 20% ou mais do financiamento pelo exterior sejam registradas como “agentes de influência estrangeira”, tendo sido apelidada de “lei russa” por semelhanças a políticas restritivas implementadas pelo Kremlin. Em caso de descumprimento, enfrentarão multas de cerca de R$ 49 mil.

A legislação foi aceita por 84 votos a favor e 30 contra. Agora, deverá ser encaminhada em até 10 dias ao presidente da Georgia, Salome Zourabichvili, que já prometeu vetá-la nas próximas duas semanas. Mesmo com a rejeição do líder georgiano, os legisladores ainda têm poder: podem anular a objeção com maioria simples.

A votação, no entanto, não foi tranquila. Na sede do legislativo, congressistas brigaram e gritaram uns com os outros durante o debate, que durou horas. Do lado de fora, tropas de choque avançaram contra manifestantes. No domingo, mais de 50 mil pessoas foram às ruas contra o que chamaram de “lei russa” — a aversão ao Kremlin é reflexo da invasão russa à Georgia, em 2008. Até hoje, Moscou controla cerca de 20% do território do país.

Reflexo da polarização, parlamentares trocaram socos durante sessão no início do mês. No plenário, Mamuka Mdinaradze, líder do partido governista, discursava sobre a lei no momento em que foi agredido no rosto por Aleko Elisashvili, da oposição. Na ocasião, 5 mil pessoas protestavam contra a aplicação da nova regulação. Segundo a agência de notícias Reuters, dezenas de manifestantes foram presos.

Continua após a publicidade

+ Parlamentares da Georgia trocam socos por ‘lei russa’; veja vídeo

Entrada na UE

Em 2022, a Georgia iniciou o processo para entrar na União Europeia, tendo recebido o estatuto de candidata em novembro. Cerca de 80% da população é favorável à adesão ao bloco europeu, reflexo do afastamento do país da Rússia e das ex-repúblicas da União Soviética. Mas a recente aprovação da lei de agentes estrangeiros deve estagnar a admissão, como alertaram líderes da UE antes da votação.

A polêmica foi alvo de novos alertas do bloco, que a taxou de “incompatível com os valores da União Europeia”, informou o portal de notícias Politico. Os Estados Unidos, por sua vez, definiram a norma como um “retrocesso democrático” na Georgia.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.