Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Snowden nega pedir asilo em troca de informações ao Brasil

Em entrevista ao ‘Fantástico’, da Globo, o homem que vazou informações secretas do governo americano diz que não agiria ‘fora do devido sistema legal’

Por Da Redação - 22 dez 2013, 21h55

O ex-analista da Agência de Segurança Nacional americana (NSA, na sigla em inglês) Edward Snowden negou, em entrevista por e-mail ao Fantástico, da Globo, que tenha pedido asilo ao Brasil em troca de informações em troca de informações que contribuiriam com as investigações das ações de espionagem da NSA no Brasil.

Leia também

Snowden quer trocar Rússia pelo Brasil, segundo jornal

Justiça dos EUA considera que coleta de dados telefônicos é ilegal

Publicidade

Obama queria um iPhone, mas segurança o impede

EUA espionaram até mundos virtuais e jogos on-line

“Nunca vou cooperar com ninguém fora do devido sistema legal”, disse o homem que vazou informações secretas do governo americano para o mundo – o que é considerado crime nos Estados Unidos, conforme ele mesmo reconhece na entrevista. “O problema é atualmente que a lei americana não faz distinção entre um vazador de informações, que revela programas ilegais para o público, e um espião, que vende secretamente documentos para terroristas”, afirmou ele, ao dizer que foi duro deixar sua família e seu país para trás. Snowden hoje está na Rússia, que lhe ofereceu asilo por um ano, e busca um asilo permanente, que, segundo carta obtida na semana passada pelo jornal Folha de S. Paulo, ele gostaria que fosse no Brasil.

“Claro que gostaria de viver no Brasil. Se o governo brasileiro quiser defender os direitos humanos, será uma honra fazer parte disso. O Brasil é um lindo país e eu estou agradecido de ter tantos novos amigos e aliados no país”, disse na entrevista. “Dada a jovem democracia que o país é, tendo se libertado de um regime autoritário há pouco mais de 30 anos, eu me sinto encorajado pela crescente liberdade política que os brasileiros estão vivendo.”

Publicidade

Ainda sobre a “carta aberta ao povo brasileiro”, O ex-analista da NSA disse que o objetivo da mensagem era explicar aos senadores brasileiros ligados à CPI da Espionagem, aberta no Senado brasileiro para investigar as atividades da NSA no país, que ele não está em condições de ajudá-los com informações.

Na conversa com o Fantástico, Snowden também aproveitou para sugerir mudanças nas leis americanas que o beneficiassem. “Se o governo americano realmente quisesse chegar ao fundo do que está acontecendo na NSA, o presidente poderia oferecer uma anistia ou o Congresso poderia fazer uma reforma nas nossas leis de proteção aos denunciantes para descriminalizar aqueles que falam a verdade pelas razões corretas. É preciso coragem política de verdade”, afirmou. “Está claro para qualquer pessoa que acompanha esse caso que eu não teria a menor possibilidade de ter um julgamento justo no meu país. Os políticos mais poderosos dos EUA já decretaram minha prisão e até já fizeram piadas sobre me executar.”

Publicidade