Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Síria: desertores matam 7 militares em represália por morte de civis

Por Ricardo Garcia Vilanova 13 dez 2011, 16h45

Desertores mataram sete membros das forças de segurança em represália pela morte nesta terça-feira de 11 civis na Síria, onde a repressão da atual revolta popular contra o regime de Bashar al Assad deixou ao menos 5.000 mortos, segundo a ONU.

Sete membros das forças de segurança sírias foram mortos nesta terça-feira por soldados dissidentes na província de Idleb (noroeste), perto da fronteira turca, informou o opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Os confrontos sangrentos entre o exército e desertores multiplicaram-se nas últimas semanas.

“Este ataque é a resposta pela morte de 11 civis nas mãos das forças de segurança e dos shabiha”, as milícias leais ao regime, em Idleb, afirmou o OSDH, com sede na Grã-Bretanha.

O OSDH anunciou anteriormente a morte de 11 pessoas nesta terça-feira na província de Idleb, como consequência de disparos das forças de segurança e milícias leais ao regime de Assad.

Nessa mesma província, as autoridades anunciaram na terça-feira que dois “membros de um grupo terrorista” proveniente da fronteira com a Turquia foram mortos por guardas fronteiriços sírios.

Um diplomata turco negou que Ancara teria autorizado ataques desse tipo. “A Turquia jamais autoriza nenhum ataque contra outros países ou vizinhos a partir de seu território”, disse nesta terça-feira à AFP.

No entanto, na Turquia reside o coronel Riad al Asaad, chefe do Exército Livre Sírio (ELS), que há várias semanas ataca as forças armadas e de segurança sírias e as milícias leais a Bashar al Assad.

Continua após a publicidade
Publicidade