Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Síria declara ‘persona non grata’ embaixadores ocidentais

Rússia e China anunciam que estão unidos a respeito da crise no país

Por Da Redação 5 jun 2012, 08h41

O regime sírio de Bashar Assad declarou nesta terça-feira “persona non grata” vários embaixadores de países ocidentais, incluindo o dos Estados Unidos, em resposta à expulsão de diplomatas sírios na semana passada, anunciou o ministério das Relações Exteriores. Os diplomatas não se encontram atualmente em território sírio.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

“A Síria decidiu declarar persona non grata os embaixadores dos Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Suíça, Turquia, Itália e Espanha, assim como os representantes de negócios da Bélgica, Bulgária, Alemanha e Canadá”, afirma o governo em um comunicado oficial.

Pelo menos 18 diplomatas, a maioria ocidentais, estão na lista, segundo o comunicado. Ao mesmo tempo, o documento afirma que a Síria ‘considera importante o diálogo baseado nos princípios de igualdade e de respeito mútuo entre Estados’. “A diplomacia é um meio necessário de contato para resolver os conflitos e os problemas em suspenso”, completa a nota do ministério das Relações Exteriores. Na semana, vários embaixadores ocidentais em Damasco abandonaram a Síria como uma forma de protesto pelo massacre de Hula, no qual morreram 108 civis nas mãos das tropas do governo.

China e Rússia – Também nesta terça-feira, o porta-voz da diplomacia chinesa, Liu Weimin, anunciou que os governos da China e da Rússia estão unidos a respeito da Síria. O presidente russo, Vladimir Putin, iniciou nesta terça uma visita oficial a Pequim para conversar sobre a situação no país do Oriente Médio. “A respeito da questão síria, China e Rússia permanecem em comunicação e coordenação estreitas, seja na sede das Nações Unidas, em Moscou e em Pequim”, disse Liu.

Segundo Liu, a posição das duas partes é clara para todos: deve haver uma interrupção imediata da violência e o processo de diálogo deve ser iniciado o mais rápido possível. “Membros do Conselho de Segurança da ONU, China e Rússia compartilham a mesma posição sobre estes pontos e são contrários a qualquer intervenção externa na Síria, e a uma troca de regime pela força”, completou. Os dois países vetaram duas vezes resoluções no Conselho de Segurança que ameaçavam o governo de Assad com sanções desde o início do ano, mas apoiaram o plano de paz elaborado pelo emissário internacional Kofi Annan.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)