Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Singh desiste de 3º mandato como primeiro-ministro da Índia

Há quase 10 anos no poder, premiê abre caminho para seu aliado, Rahul Gandhi

O primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, anunciou nesta sexta-feira que não irá concorrer a um terceiro mandato nas eleições deste ano. “Em alguns meses, após as eleições gerais, eu entregarei o bastão para um novo primeiro-ministro”, disse em uma coletiva de imprensa em Délhi.

Em sua declaração, Singh sinalizou que deseja abrir espaço para Rahul Gandhi, herdeiro da dinastia que tem dominado a vida política indiana desde a independência. “Rahul Gandhi seria um excelente candidato. Espero que nosso partido o designe no momento”, disse o primeiro-ministro. Ele disse que gostou de seu trabalho em seus quase 10 anos à frente da Índia e que nunca se sentiu com vontade de desistir.

Leia também

Diplomata indiana diz que foi algemada e passou por revista íntima nos EUA

Promotor diz que diplomata indiana presa nos EUA explorava sua empregada

Jovem indiana estuprada por grupo morre após atear fogo ao próprio corpo

O chefe de Estado, de 81 anos, relembrou os feitos alcançados desde que tomou posse em 2004, o que inclui crescimento econômico com inclusão social, melhora no sistema educacional e crescimento rural mais rápido. Economista, ele também é visto como o arquiteto das reformas econômicas da Índia.

No entanto, o segundo mandato de Singh foi manchado por acusações de corrupção e críticas à paralisia do governo em meio a uma forte desaceleração econômica. O partido do primeiro-ministro, o Partido do Congresso, muitas vezes é criticado por aparentar estar sem rumo, o que aumenta os rumores de que as rédeas estão com a presidente do Partido do Congresso, Sonia Gandhi.

De acordo com as pesquisas, o Partido do Congresso tem poucas possibilidades de vencer as eleições de maio e deve ser derrotado pelo oposicionista Partido do Povo Indiano, dirigido por Narendra Modi. Nas eleições locais de dezembro, consideradas um termômetro do sentimento público, o Partido do Congresso já sofreu uma grande derrota para o oposicionista. “Seria um desastre para o país se Narendra Modi fosse o primeiro-ministro”, afirmou Singh, segundo o jornal Times of India, em um ataque frontal ao líder do partido nacionalista hindu.

Atrito com os EUA – A disputa entre os EUA e a Índia por causa da prisão de uma diplomata indiana em Nova York é uma “aberração temporária” nas relações bilaterais, disse o primeiro-ministro Manmohan Singh. O primeiro-ministro disse ainda que o governo tem “a mais alta prioridade em reforçar a parceria estratégica entre os dois países”. “Houve, recentemente, alguns tropeços, mas eu sinceramente acredito que estes são aberrações temporárias e a diplomacia cria oportunidades de resolver os problemas que têm surgido”, disse completou.

(Com Estadão Conteúdo e agência France-Presse)