Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seul acredita que Pyongyang formará comissão especial durante transição

Seul, 21 dez (EFE).- Uma comissão do norte-coreano Partido dos Trabalhadores pode ficar responsável por alguns dos assuntos mais urgentes do país até que o sucessor do falecido Kim Jong-il tome pleno controle, apontam relatórios dos serviços sul-coreanos de Inteligência divulgados nesta quarta-feira pela agência ‘Yonhap’.

O Serviço Nacional de Inteligência sul-coreano indica que a Coreia do Norte irá trabalhar para promover uma transferência de poder destinada a Kim Jong-un, o filho mais novo do líder norte-coreano Kim Jong-il, que segundo Pyongyang morreu no último sábado após um ataque cardíaco.

Imediatamente após anunciar a morte do ‘Querido Líder’, a imprensa estatal do país comunista não economizou elogios a Kim Jong-un e exigiram lealdade ao provável sucessor.

Kim Jong-un, com idade estimada em menos de 30 anos, foi apresentado ao mundo como o mais provável sucessor de seu pai no ano passado, quando foi nomeado general de quatro estrelas e assumiu posição central no Partido dos Trabalhadores.

Entre outros títulos, o jovem é vice-presidente da Comissão Militar Central do partido único, um poderoso órgão que supervisiona as Forças Armadas e as políticas militares da Coreia do Norte, um país com capacidade nuclear e Exército integrado por mais de um milhão de soldados.

Uma transferência de poder a Kim Jong-un marcaria a terceira geração do Governo de uma dinastia ditatorial que começou com Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte, pai de Kim Jong-il e considerado o ‘presidente eterno’ da nação.

O corpo de falecido Kim Jong-il, que esteve no poder durante 17 anos, está sendo velado no mesmo Palácio Memorial que abriga o mausoléu de seu pai. Já o funeral do ‘Querido Líder’ acontecerá no próximo dia 28. EFE