Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Sete policiais mortos em onda de ataques no Iraque

Por null 15 jan 2012, 13h44

Sete policiais morreram e 19 pessoas ficaram feridas em uma série de atentados suicidas e com carros-bomba neste domingo em Ramadi (100 km a oeste de Bagdá), seguida por um ataque de homens armados contra um centro policial, informou a polícia.

As forças de segurança conseguiram retomar o controle do prédio às 15h00 (10h00 de Brasília), cerca de três horas depois que homens armados atacaram o prédio e se entrincheiraram no local, confirmou o general Hadi Arzaig, chefe da polícia da província de Al-Anbar.

“Os seis terroristas foram mortos no interior do edifício onde estavam escondidos e a situação está sob controle da polícia”, explicou o general.

“Recebemos os corpos de sete policiais e 19 feridos, sendo 16 policiais e três civis”, anunciou uma fonte do hospital geral de Ramadi.

Os atentados começaram com a explosão de quatro carros-bomba perto de uma mesquita e de um posto de polícia. Depois, dois terroristas suicidas acionaram suas cargas de explosivos em frente ao posto policial, antes de que este fosse atacado, segundo fontes policiais.

Continua após a publicidade

Os dois primeiros carros-bomba explodiram às 11h30 (06h30 de Brasília) próximo à mesquita de Dawlah Kabir no centro de Ramadi, e depois um terceiro foi detonado no centro da cidade.

Um quarto veículo explodiu perto de um posto policial, diante do qual dois suicidas se explodiram pouco depois. Homens armados invadiram o local mais tarde e lá se entrincheiraram.

Ramadi, cidade de meio milhão de habitantes é a capital da província sunita de Al-Anbar, que foi bastião da insurreição antiamericana e do braço iraquiano da Al-Qaeda.

No sábado, pelo menos 53 pessoas morreram em um atentado suicida no Iraque, entre elas muitas crianças e mulheres, em plena comemoração do Arbain, uma das principais celebrações religiosas xiitas.

Esta onda de violência ocorre en plena crise política que opõe líderes sunitas e xiitas há cerca de um mês, e que não parece se encaminhar para uma solução.

Continua após a publicidade
Publicidade