Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Sete afegãos são condenados à morte por estupro coletivo

Homens, que estavam disfarçados de policiais, agrediram quatro mulheres que voltavam de um casamento. Caso provocou indignação no Afeganistão

Por Da Redação - 7 set 2014, 13h36

Sete afegãos foram condenados à morte, neste domingo, pelo estupro coletivo de quatro mulheres, em um caso que provocou indignação no Afeganistão. Os envolvidos foram declarados culpados pelo sequestro e agressão sexual das mulheres. Elas estavam em um grupo que voltava de carro para Cabul, depois de uma festa de casamento na periferia da capital.

Leia mais:

Roger Abdelmassih, condenado por 52 estupros, é preso no Paraguai

Menina de 11 anos é estuprada e morta na Índia

Publicidade

​Índia: homem é preso acusado de estuprar menina de 6 anos

Os sete homens estavam disfarçados de policiais e armados com fuzis. Eles arrastaram as mulheres para fora do carro, roubaram seus pertences e as estupraram, indicou a justiça, que levou o caso à julgamento com rapidez. “Fomos a Paghman com nossas famílias. No caminho de volta, os homens nos pararam. Um deles colocou o fuzil na minha cabeça, o outro roubou todas as minhas joias e o resto fez o que vocês já sabem”, contou uma das vítimas, coberta por uma burqa, ante o tribunal.

Tanto o julgamento quanto os protestos de revolta realizados na entrada do tribunal foram transmitidos ao vivo pela televisão. Os manifestantes comemoraram quando o chefe de polícia de Cabul, Zahir Zahir, pediu que os acusados fossem enforcados. “Queremos que sejam enforcados em público. Isso servirá de lição para os demais”, declarou Zahir. Os condenados ainda podem apelar da decisão.

(Com AFP)

Publicidade