Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

‘Seria cruel matar só o tio’, diz assassino de família na Espanha

Patrick Nogueira contou que o crime foi premeditado: "três dias antes, segui necessidade de matar"

Por Da redação - 16 nov 2016, 22h09

François Patrick Nogueira Gouveia, que assassinou os tios e os primos brasileiros no município de Pioz, na província de Guadalajara, Espanha, afirmou em depoimento à Justiça espanhola que matou todos os membros da família porque seria “cruel” deixar as crianças sem pai.

“Matei os quatro porque me parecia cruel matar só o Marcos. Não ia deixar uma família sem marido e sem pai. Eles não sofreram, não resistiram, não gritaram. Foi muito rápido”, disse. As informações são da emissora de TV local Antena3, que teve acesso a trechos do depoimento dado na última segunda-feira.

Segundo a emissora espanhola, Patrick Nogueira confirmou ainda que trocou mensagens com um amigo no Brasil enquanto cometia os crimes. Marvin Henriques Correia, estudante de 18 anos, foi preso no fim de outubro na Paraíba. Ele teria dado informações ao criminoso pelo WhatsApp sobre como esquartejar os corpos. Marvin desejou ainda “boa sorte” a Patrick antes dos assassinatos e pediu ao amigo para “manter a calma”.

Em depoimento à Justiça espanhola, Patrick Nogueira contou que o crime foi premeditado. “Três dias antes, segui necessidade de matar. Isso acontece com frequência, desde os 12 anos. Quando acontece, eu bebo muito”, disse, de acordo com a Antena3. Sobre a viagem ao Brasil após as mortes, Patrick afirmou que seu objetivo não era evitar a prisão, e sim despedir-se dos familiares.

Publicidade

Ainda de acordo com a emissora, no dia do assassinato, Patrick acordou tarde. “Tinha que estar descansado”. No depoimento, ele contou que, a caminho da casa da família que assassinaria mais tarde, viu uma pizzaria em promoção e levou pizzas para o local.

 

O crime

François Patrick matou as quatro vítimas da mesma forma: cravou uma faca no pescoço deles, rompendo com precisão a artéria aorta e a jugular, o que provoca a perda rápida de muito sangue. O assassino contou que matou a mulher de seu tio, Janaína Santos Américo e, na sequência, matou as crianças. Ele então esperou seu tio, Marcos Nogueira, chegar do trabalho e o atacou antes que ele pudesse reagir.

Por fim, Patrick usou uma faca maior para cortar os corpos dos adultos e, em seguida, colocou-os em seis sacos plásticos. Ainda segundo a publicação espanhola, seu DNA foi encontrado nas facas usadas no crime, nos sacos plásticos e em gotas de suor no chão da casa. A investigação descobriu também que o celular de Patrick indicava sua presença em Pioz na tarde de 17 de agosto e na manhã seguinte.

Publicidade