Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Separatistas vão às ruas de Barcelona no dia nacional da Catalunha

Ato reuniu 108 mil pessoas e contou com a participação de líderes políticos perdoados pela tentativa de independência em 2017

Por Redação Atualizado em 11 set 2021, 18h54 - Publicado em 11 set 2021, 18h24

A celebração da La Diada — o dia nacional da Catalunha — levou cerca de 108 mil pessoas às ruas de Barcelona neste sábado, 11, conforme número estimado pelas autoridades locais. Segundo a agência Reuters, a maioria dos manifestantes usavam máscaras e agitavam bandeiras da Catalunha enquanto reivindicavam a independência da região.

A marcha, organizada pela Assembleia Nacional Catalã (ANC), foi a primeira desde que o governo espanhol perdoou nove líderes separatistas presos por participarem da tentativa frustrada de independência em 2017, e parte deles compareceram à manifestação deste sábado.

“Pela primeira vez em quatro anos, nove pessoas muito especiais participaram de La Diada novamente. Os presos políticos estão de volta às ruas”, disse a presidente do ANC, Elisenda Paluzie.

O ativista cultural Jordi Cuixart, que estava entre os presos, exortou a multidão a continuar lutando pela independência. “Aqueles que nos pedem para virar a página e não querem que lutemos pela autodeterminação. Qual é o plano da Espanha para a Catalunha? Nenhum. Apenas repressão e mais repressão”, disse ele.

Continua após a publicidade

/
Manifestantes com letreiros formando a palavra Liberdade Adria Puig/Anadolu Agency/Getty Images
/
Senhora observa protestos no Dia Nacional da Catalunha Adria Puig/Anadolu Agency/Getty Images

Na Catalunha, o 11 de setembro marca a La Diada, data em que Barcelona foi tomada pelas forças espanholas em 1714. A derrota é usada como um símbolo de resistência catalã, por isso, a data costuma levar às ruas protestos separatistas.

Mesmo com a estimativa dos organizadores — que contabilizaram 400.000 mil participantes — o número é o segundo menor desde que os protestos começaram, em 2012, longe dos 600.000 que marcharam em 2019, e  ainda mais distante do pico de 1,8 milhão em 2014. Mesmo assim, é uma retomada em relação a 2020, quando apenas pequenos protestos foram organizados por conta da COVID-19.

A manifestação acontece dias antes de uma reunião entre os governos central e regional, que devem se reunir na próxima semana para retomar as negociações sobre o conflito político da Catalunha, suspensas desde fevereiro de 2020 por conta da pandemia.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)