Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Senador da Rússia quer banir ‘emoticons gays’ no país

Segundo legislação 'anti-gay' russa, as autoridades podem bloquear o acesso a conteúdo que "promova a homossexualidade"

Um senador da Rússia quer banir “emoticons gays” das mídias sociais no país. De acordo com o jornal local Russia’s Izvestia, Mikhail Marchenko prestou queixa pública e acionou o serviço federal de controle dos meios de comunicação – Roskomnadzor – contra desenhos, usados por internautas no mundo todo, que mostram casais do mesmo sexo sorridentes ou se beijando e famílias formadas por dois pais ou duas mães.

Segundo Marchenko, os símbolos violam a legislação ‘anti-gay’ russa, promulgada em 2013, porque “promovem relações sexuais não tradicionais”, “negam os valores familiares” e mostram “desrespeito com pais e outros membros familiares”, afirma a BBC. A norma russa permite que as autoridades russas bloqueiem o acesso a todo conteúdo online que “promova a homossexualidade” e prevê multas de 4.000 a 5.000 rublos (entre 230 e 290 reais, aproximadamente). Empresas e estrangeiros podem ser punidos com multas ainda muito mais altas e até prisão.

Leia também:

TV russa classifica campanha de Hillary Clinton para maiores de 18

Rússia proíbe transsexuais de dirigir

Primeiro comercial com casal lésbico agrada a conservadora Índia; assista

A Rússia é alvo de de duras críticas da comunidade internacional por causa de sua legislação ‘anti-gay’. O país é palco de frequentes manifestações de intolerância, que o governo tolera e até incentiva.

A Apple inseriu os emoticons com casais homossexuais em sua coleção de desenhos pela primeira vez em 2012. Uma atualização dos desenhos foi feita no início desse ano, com emoticons de famílias formadas por pais do mesmo sexo e variedade de etnias em seus 300 símbolos disponíveis.

(Da redação)