Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Senador americano Bob Menéndez é acusado de corrupção

Segundo a Justiça, ele aceitou suborno para ajudar um amigo empresário. Menéndez é um dos principais líderes latinos do Congresso e crítico das relações dos EUA com Cuba

O senador democrata Robert ‘Bob’ Menéndez, um influente congressista de origem cubana, crítico das negociações entre Washington e Havana e defensor das sanções contra a Venezuela, foi acusado nesta quarta-feira de corrupção pela Justiça americana. Menéndez recebeu catorze acusações, oito delas por suborno e uma por dar declarações falsas, apresentadas em uma corte de Nova Jersey, disse Peter Carr, porta-voz do Departamento de Justiça.

O senador é acusado de interceder em favor de Salomon Melgen, um oftalmologista e empresário de Miami em troca de presentes e dinheiro para suas campanhas. Segundo a acusação, Melgen deu cerca de 1 milhão de dólares (3 milhões de reais), incluindo presentes, para Menéndez, que recebeu ainda 750.000 dólares (2,2 milhões de reais) para sua campanha de reeleição, em 2012. Melgen também foi acusado de oito crimes de suborno.

Leia também

Barack Obama leva escorregão ao descer do Air Force One

Senado dos EUA aprova orçamento proposto pelo Partido Republicano

Menéndez disse que provará que “estas acusações são totalmente equivocadas”, e reafirmou que está pronto para o embate: “não vou a lugar nenhum, estou com nojo disto e pronto para brigar”. Segundo a imprensa americana, o senador, que até o ano passado liderou a poderosa Comissão de Relações Exteriores do Senado, interveio em favor dos negócios de Melgen mediante requerimentos ao governo americano de seu gabinete no Congresso. Menéndez admitiu publicamente ter interferido em agências federais a favor de Melgen, mas disse que o fez porque era um homem de negócios americano com dificuldades burocráticas na República Dominicana. Segundo o senador, os dois foram “amigos verdadeiros por mais de duas décadas”.

O senador democrata realizou ao menos vinte voos – a maioria no jato particular de Melgen – entre Flórida, Nova Jersey e República Dominicana, onde se hospedava na casa do amigo, no o exclusivo condomínio de La Romana, nas margens do mar caribenho. Segundo a promotoria, o senador pressionou funcionários federais entre 2009 e 2012 para que suspendessem uma atuação contra Melgen para pagar quase 9 milhões de dólares (18 milhões de reais) ao Medicare, o programa estatal de saúde voltado para a terceira idade nos Estados Unidos.

Menéndez é um dos mais ferozes críticos da aproximação entre Cuba e Estados Unidos e é coautor de uma lei de sanções contra a Venezuela, assinada pelo presidente Barack Obama em novembro e implementada no começo de março contra sete funcionários venezuelanos. Um dos principais líderes latinos no Congresso, Menéndez apoiou a reforma migratória de Obama, mas é um dos mais duros críticos do presidente em outro tema relevante na política externa, as negociações nucleares com o Irã.

(Da redação)