Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Senado deve iniciar julgamento de Trump na próxima semana

Nancy Pelosi promete enviar a decisão dos deputados em favor do impeachment aos senadores, o que desencadeará processo na Câmara Alta

Por Caio Mattos Atualizado em 10 jan 2020, 17h47 - Publicado em 10 jan 2020, 17h35

A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, prometeu nesta sexta-feira, 10, enviar o processo de impeachment contra o presidente Donald Trump ao Senado na próxima semana. Com isso, será desencadeado imediatamente o julgamento de Trump pelos senadores pelos crimes de abuso de poder e obstrução do Congresso.

“Pedi ao presidente do Comitê Judiciário, Jerry Nadler [que julgou a constitucionalidade do pedido de impeachment em dezembro], que estivesse preparado para levar ao plenário na próxima semana uma resolução para indicar os membros e enviar os artigos de impeachment ao Senado”, disse Pelosi em uma carta ao seu comitê democrata.

A deputada afirmou que “consultará” seus colegas democratas da Câmara sobre a questão em uma reunião na terça-feira, 14. O plenário — controlado pelos democratas, com 232 dos 435 assentos — ainda precisa votar a resolução de Pelosi para que o processo de impeachment seja enviado ao Senado para o julgamento.

Segundo o regimento sobre o trâmite do impeachment, o Senado deve iniciar o julgamento até às 13h do dia seguinte à votação da Câmara, exceto se for domingo. Mas, uma maioria de 51 senadores pode votar a favor de alterar essa exigência e qualquer uma das 26 regras que ditam o processo de impeachment.

Os republicanos controlam o Senado com 53 representantes, mas alguns deles são vistos como votos incertos. Em especial, três senadores — Mitt Romney, Lisa Murkowski e Suan Collins —, que não assinaram uma resolução da casa condenando a aprovação do processo de impeachment pela  Câmara em dezembro.

O líder da maioria republicana na casa, senador Mitch McConnell, estimava que o julgamento comece já na segunda-feira, 13, ou na terça-feira, 14, de acordo com seus colegas de partido, como reportado pelo portal de notícias americano Politico na quinta-feira 9.

McConnell foi acusado por Pelosi de desconsiderar seus pedidos de um “julgamento justo”, incluindo o compromisso de convocar testemunhas ou aceitar novas evidências antes do julgamento do impeachment.

Em dezembro, o McConnell ainda disse que “coordenará com os advogados do presidente para não haver nenhum diferença entre nós [senadores republicanos e defesa de Trump]” sobre como prosseguir com o impeachment. Antes do início do julgamento, os senadores são obrigados a jurar “fazer justiça imparcial de acordo com a Constituição”.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade