Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Senado aprova indicado de Obama para o Pentágono

Mesmo com resistência de ex-colegas republicanos, Chuck Hagel foi oficializado como o novo secretário de Defesa e substituirá Leon Panetta

Por Da Redação 26 fev 2013, 19h50

O Senado americano aprovou nesta terça-feira o ex-senador Chuck Hagel como o novo secretário de Defesa dos Estados Unidos. A aprovação veio com 58 votos a favor e 41 contra, sendo que quatro republicanos juntaram-se à maioria democrata para aprovar o nome indicado pelo presidente Barack Obama. Eram necessários 51 votos para a aprovação. Mais cedo, no entanto, um número maior de republicanos uniu-se aos democratas para decidir (por 71 votos a 27) pelo encerramento do debate e abrir caminho para a votação.

Hagel substituirá Leon Panetta no cargo. Sua aprovação, no entanto, veio depois de uma queda de braço entre democratas e republicanos que durou quase dois meses, e incluiu uma inédita obstrução à votação, há duas semanas. Um grupo de senadores republicanos chegou a enviar um pedido ao presidente para que retirasse a indicação, destacando que o comandante do Pentágono deveria ser alguém que não “provocasse divisões”.

Ex-senador republicano, Hagel teve sua nomeação contestada principalmente por suas críticas ao lobby pró-Israel no Congresso americano e por sua postura contrária a sanções ao Irã. Mesmo com a aprovação, os republicanos alertaram que o novo secretário assumirá o cargo com o maior número de votos contrários que um indicado para o Pentágono já registrou. Também expressaram preocupação que essa resistência o enfraqueça politicamente, informou o jornal The Washington Post.

Republicano – Hagel, de 66 anos, é veterano da Guerra do Vietnã e foi senador por Nebraska. Sua aproximação com Obama, então senador por Illinois, teria sido intensificada em 2008, quando os dois viajaram ao Afeganistão. No final de janeiro, durante uma sabatina na Comissão de Forças Armadas do Senado, Hagel defendeu que os Estados Unidos utilizem todas as ferramentas ao seu alcance para proteger seu povo e se manter como a maior força militar do mundo.

Também disse estar totalmente comprometido com “o objetivo do presidente de prevenir que o governo iraniano obtenha uma arma nuclear”. “Para isso, todas as opções devem estar sobre a mesa”, sustentou. Também prometeu trabalhar ao lado de Israel e seus aliados e destacou que apoia o sistema de proteção antimísseis Domo de Ferro.

Continua após a publicidade
Publicidade