Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Seis são detidos ao protestar por morte de jovem negro

Manifestantes bloquearam rua em Berkeley, no Missouri. Em Nova York, dois homens foram presos por ameaçar policiais

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h43 - Publicado em 25 dez 2014, 16h38

Pelo menos seis manifestantes foram detidos em Berkeley, no Missouri, por bloquear uma rua em um protesto realizado um dia depois da morte de Antonio Martin, de 18 anos, em uma ação policial. Segundo as autoridades, Martin estava armado e o policial agiu em legítima defesa.

O episódio aconteceu perto da cidade de Ferguson, onde o adolescente negro Michael Brown, que estava desarmado, foi morto por um policial branco que não foi levado a julgamento por decisão de um grande júri. As manifestações acabaram se espalhando por todo o país e aumentaram com outros casos de mortes de negros em incidentes com policiais brancos.

Em Nova York, mais dois homens foram presos por ameaçar a polícia, elevando para seis o número de detidos por ameaças contra o Departamento de Polícia de Nova York desde que os policiais Rafael Ramos e Wenjian Liu foram mortos a tiros, no sábado.

Leia também:

NY: policiais responsabilizam prefeito por morte de colegas

Um porta-voz da corporação informou nesta quinta-feira que Tyrone Melville, de 41 anos, foi preso ontem depois de ligar para o batalhão de polícia do Brooklyn onde trabalhavam os policiais assassinados.

Jose Maldonado, de 26 anos, também foi preso ontem, acusado de fazer ameaças de terror após ter ameaçado matar policiais e publicado fotos de armas em sua página no Facebook.

Os policiais Ramos e Liu foram mortos a tiros dentro do carro da polícia por Ismaaiyl Brinsley, de 28 anos, que relacionou o ataque às mortes de homens negros por policiais brancos em Nova York e Ferguson, no Estado do Missouri. Brinsley, que tinha problemas mentais e uma longa ficha criminal, cometeu suicídio depois de matar os policiais.

(Com agências Reuters e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade