Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Segundo terrorista envolvido em morte de soldado britânico é indiciado

Michael Adebolajo deixou hospital na sexta-feira, depois de ficar nove dias internado. Ele responderá pela morte de Lee Rigby, por tentativa de homicídio contra dois policiais e por posse ilegal de arma de fogo

O segundo terrorista islâmico envolvido no brutal assassinato de um soldado britânico no último dia 22 foi indiciado neste sábado pela morte de Lee Rigby, de 25 anos. Michael Adebolajo, de 28 anos, também foi acusado de tentativa de homicídio contra dois policiais e posse ilegal de arma. Mantido sob custódia, ele deverá comparecer diante do juiz na segunda-feira, informou a rede britânica BBC. O outro terrorista, Michael Adebowale, de 22 anos, já foi acusado pela morte do soldado e por posse de arma e compareceu ao tribunal na quinta-feira. Ele também continua detido. Os dois terroristas foram feridos ao reagir diante da chegada da polícia ao local do crime, uma rua de Woolwich, no sudoeste de Londres. Adebowale permaneceu seis dias internado e Adebolajo ficou nove dias no hospital.

Tanto Adebowale como Adebolajo foram filmados e fotografados por testemunhas que passavam pelo local no dia do ataque. Pouco depois de mutilar Rigby usando facas de açougueiro, Adebolajo falou para a câmera do telefone celular de uma testemunha. “Nós juramos por Alá que nunca deixaremos de lutar contra vocês. O único motivo pelo qual fizemos isso é porque muçulmanos morrem todos os dias”, disse, quando ainda tinha sangue da vítima nas mãos. Na quarta-feira, o resultado da necropsia confirmou que Rigby, pai de uma criança de dois anos, morreu em decorrência de “ferimentos múltiplos”.

Ao todo, 12 pessoas foram detidas depois do ataque, incluindo os dois terroristas. Dois homens, de 42 e 46 anos, foram levados para uma delegacia no sul de Londres, nesta sexta, por suspeita de fornecer armas ilegais. Outras seis pessoas foram liberadas depois de pagar fiança, a última delas um homem de 50 anos detido na noite de segunda-feira por suspeita de conspiração para matar. Duas pessoas foram liberadas sem receber qualquer acusação. Ibrahim Abdullah-Hassan, também conhecido como Abu Nusaybah, foi detido depois de conceder uma entrevista sobre Adebolajo para a BBC. Ele foi acusado de disseminar publicações terroristas e incentivar o terrorismo. Segundo a polícia, as acusações não estão ligadas à investigação sobre a morte de Lee Rigby.

Apesar de inicialmente serem considerados “lobos solitários”, expressão usada para designar militantes que não pertencem a organizações terroristas, criminosos como Adebolajo e Adebowale ou ainda como os irmãos chechenos Tamerlan e Dzhokhar Tsarnaev, responsáveis pelo atentado em Boston, não brotam espontaneamente do nada. Eles têm ligações com radicais dentro e fora de seu país de residência. E, muitas vezes, estiveram no radar dos serviços de inteligência. O desafio é flagrar um muçulmano radical antes que ele decida cometer um atentado.