Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Segundo Irã, Rússia e China desaprovam relatório da AIEA

Por Joe Klamar 10 nov 2011, 14h14

O número dois do Conselho Supremo iraniano de Segurança Nacional, Ali Bagheri, afirmou esta quinta-feira, em Moscou, que Rússia e China compartilham a opinião do Irã sobre o caráter “puramente político” do último relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Neste documento, divulgado na terça-feira, a AIEA manifestou “sérias inquietações” com relação ao programa nuclear iraniano, apoiando-se em informações “confiáveis” segundo as quais Teerã trabalhou na elaboração da arma atômica.

“Consideramos que este documento é puramente político. Não há nada novo” neste relatório, baseado em “documentos falsos”, afirmou Bagheri durante entrevista coletiva em Moscou, segundo a tradução russa de suas declarações.

“A Rússia considera que este relatório não é neutro, mas político. O governo chinês tem a mesma opinião”, acrescentou, insistindo no apoio de Moscou e Pequim.

“Temos consultas com nossos amigos russos e chineses sobre o programa nuclear iraniano. A este respeito, o governo russo e o governo chinês reconhecem que o relatório da AIEA é puramente político”, destacou Bagheri.

A Rússia informou que ainda não tem conhecimento do conteúdo completo do relatório da AIEA, mas que das “primeiras apreciações” não tirava nada de “fundamentalmente novo” e que se tratava de “uma compilação de fatos conhecidos, aos quais se deu uma interpretação política”.

A Rússia, cuja posição é a mesma da Rússia, anunciou igualmente que não apoiaria novas sanções contra o Irã, pedidas por vários países ocidentais.

Continua após a publicidade
Publicidade