Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Sede do maior jornal da Argentina é alvo de ataque com coqueteis molotovs

Em nota, Clarín afirma que caso é uma grave situação de violência e intolerância contra os meios de comunicação

Por Da Redação 23 nov 2021, 13h19

Um grupo de pelo menos nove pessoas encapuzadas atacou o prédio principal do Grupo Clarín, maior conglomerado de mídia da Argentina, em Buenos Aires na noite da última segunda-feira, 22.

Por volta de 23h, horário local, câmeras de segurança flagraram o grupo acendendo uma série de coquetéis molotov e arremessando em direção ao edifício. Os artefatos acertaram o hall de entrada, a calçada e algumas árvores próximas, provocando um princípio de incêndio. 

Apesar das marcas de combustível, ninguém ficou ferido e nenhum dano foi causado à estrutura do prédio. Os bombeiros chegaram por volta de dez minutos depois e o fogo já tinha sido extinguido. Segundo o próprio Clarín, foi encontrada uma impressão digital em uma das garrafas que não explodiu que já está sendo analisada pela Polícia Federal Argentina.

Por outro lado, os investigadores afirmaram que as primeiras imagens são muito escuras para conseguir identificar os suspeitos e que a Unidade Antiterrorismo será acionada para auxiliar nas investigações. Além disso, câmeras da prefeitura espalhadas pela região serão utilizadas para analisar o caminho feito pelo grupo. 

Em nota, o Clarín repudiou os ataques e lamentou aquilo que define como um “grave caso de violência e intolerância contra os meios de comunicação”.

Continua após a publicidade

Publicidade