Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Secretário de Estado dos EUA discute imigração com chanceler brasileiro

Após evitar Brasil em giro pela América do Sul, Anthony Blinken falou por telefone com o ministro de Relações Exteriores, Carlos França

Por Julia Braun 19 out 2021, 14h53

Após deixar o Brasil ficou de fora de seu primeiro roteiro da primeira viagem pela América do Sul, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken,  falou por telefone com o ministro de Relações Exteriores, Carlos França, nesta terça-feira, 19.  Os dois discutiram como podem colaborar mais para frear o crescente fluxo descontrolado de migrantes irregulares na região.

Segundo o porta-voz do Departamento de Estado americano Ned Price, Blinken e França também trataram dos objetivos comuns para a próxima reunião ministerial sobre migração em Bogotá, Colômbia. “O secretário reconheceu a liderança do Brasil na assistência às populações vulneráveis de migrantes, incluindo haitianos e venezuelanos”, diz a nota divulgada sobre a conversa.

Blinken realiza atualmente sua primeira viagem oficial como secretário de Estado à América do Sul. Mas em vez de visitar o maior país da região, o chefe da diplomacia americana escolheu parar no Equador e na Colômbia.

O secretário se encontra com o presidente do Equador, Guillermo Lasso, nesta terça-feira. Amanhã tem reunião marcada com o presidente colombiano, Iván Duque. Antes de viajar à América do Sul, Blinken já havia visitado o México e a Costa Rica.

Crise migratória

Os Estados Unidos vivem um novo período de crise em sua fronteira com o México diante de uma nova enorme onda migratória. Imagens de agentes da Patrulha de Fronteira montados a cavalo com supostos chicotes na mão, tentando empurrar imigrantes de volta ao território mexicano, repercutiram há algumas semanas e provocaram críticas ao governo.

A maior parte dos imigrantes que tenta entrar ilegalmente nos Estados Unidos vem da Venezuela e de países da América Central, como México, Cuba e Haiti, além de Honduras, Guatemala e El Salvador. Mais recentemente, porém, cresceu o número de brasileiros tentando cruzar a fronteira.

Segundo agentes americanos, mais de 46.000 brasileiros foram retidos na fronteira entre México e Estados Unidos entre outubro de 2020 e setembro de 2021. O contingente representa mais que o dobro do verificado em 2019, quando 18.000 brasileiros foram apreendidos.

Por essa razão, o governo do México anunciou na semana passada que voltará a exigir visto para turistas brasileiros. De acordo com informações divulgadas pela agência de notícias Reuters, a decisão foi tomada a pedido da administração de Joe Biden.

Continua após a publicidade

Publicidade