Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

SeaWorld anuncia fim de programa de espetáculos com orcas

A intenção do parque é investir em experiências educativas e de preservação da vida marinha

O parque temático SeaWorld anunciou nesta quinta-feira o cancelamento de seu programa de espetáculos com orcas após anos sob muitas críticas de ativistas e biólogos. A intenção do parque é proporcionar aos visitantes uma experiência mais “natural” com os animais e focar em um compromisso de “educação, pesquisa de ciência marinha e resgate destes animais marítimos”. Segundo um comunicado oficial, a SeaWorld não libertará as orcas, por considerar que elas já não se adaptariam à vida selvagem. O parque garantiu que esta decisão foi tomada porque a “sociedade está mudando” e lembrou que não captura animais selvagens há quase 40 anos.

Após saber da notícia, a organização de proteção de animais Peta disse em comunicado que a SeaWorld deve abrir seus “tanques ao oceano para permitir que as orcas que agora mantém cativas possam ter uma vida fora de suas prisões”. “A SeaWorld deu um passo à frente, mas devem vir outros. A Peta pede às pessoas de todo o mundo que mantenham uma campanha forte para o bem de todos os animais”.

Leia também:

Rússia busca novos golfinhos para seu programa de treinamento militar

Contra a vontade do mundo, Japão retoma caça às baleias

Tragédia no SeaWorld: baleia agarrou treinadora com a boca, diz testemunha

As orcas da SeaWorld permanecerão nas instalações dos Estados Unidos, nos parques de Orlando (Flórida), San Antonio (Texas) e San Diego (Califórnia), onde protagonizarão “novos e inspiradores encontros” com os visitantes. O novo projeto estreará no parque de San Diego em 2017, e será levado a San Antonio e Orlando em 2019. A companhia de parques indicou que selou uma aliança com a organização de defesa dos animais Humane Society, que servirá para educar os visitantes sobre o bem-estar e a conservação da “vida selvagem e dos lugares em que vivem”.

Documentário – A SeaWorld observou uma grande diminuição dos números de visitantes nos parques após a estreia do documentário Blackfish, dedicado à orca Tilikum. A baleia matou em 2010 uma de suas treinadoras, a terceira desde que o animal chegou ao parque SeaWorld Orlando há 23 anos. O parque anunciou recentemente que Tilikum está se aproximando da idade limite comum para esses animais marítimos e que sua saúde está se deteriorando. Afirmaram também que sua conduta cada vez é “mais letárgica”.

Segundo a organização especializada About Whales and Dolphins, em dezembro de 2015 havia 56 orcas em cativeiro, 23 capturadas nos oceanos e 33 nascidas em cativeiro em pelo menos doze parques marítimos em Argentina, Canadá, França, Espanha, Rússia, Japão e Estados Unidos.

(Com agência EFE)