Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Se são traficantes, ‘você atira para matar’, diz presidente das Filipinas

Ordem de Rodrigo Duterte a chefe do serviço alfandegário faz parte de truculenta campanha contra tráfico de drogas

Por Da Redação Atualizado em 1 set 2020, 17h06 - Publicado em 1 set 2020, 16h57

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, que já assumiu ter matado outro homem, exigiu ao chefe da alfândega do país, Leonardo Guerrero, a morte de traficantes de drogas durante uma reunião de gabinete nesta terça-feira, 1. 

“As drogas continuam entrando em nosso país através da alfândega”, Duterte afirmou. O presidente filipino mencionou uma compra de armas aprovadas a pedido de Guerrero, e cobrou o chefe da alfândega para que as use.

“Eu aprovei a compra de armas e até agora você não matou ninguém? Faça isso”, disse. “Eu vou te apoiar e você não vai ser preso. Se são drogas, você atira para matar. Esse é o acordo.”

Ao menos 5.700 já foram mortas durante a campanha truculenta contra o tráfico de drogas empregada por Duterte, na Presidência desde junho de 2016. O incentivo do mandatário levantou alarmes no Ocidente sobre possíveis crimes contra a humanidade estarem ocorrendo no país, uma vez que raras são as vezes que o devido processo legal é seguido.

ASSINE VEJA

A esperança dos novatos na bolsa Leia nesta edição: a multidão de calouros no mercado de ações, a ‘lista negra’ de Bolsonaro e as fraudes na pandemia
Clique e Assine

A Humans Right Watch (HRW) classificou a ordem como “selvagem”. Phil Robertson, vice-diretor da organização para a Ásia, pediu uma investigação comandada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

“A contínua carnificina explicita porque a comunidade internacional liderada pela União Europeia precisa agir decisivamente contra essa catástrofe nas Filipinas”, disse.

Duterte promete continuar a campanha contra o tráfico de drogas durante seus mais dois anos de mandato. O presidente também é dono de diversas outras polêmicas. Além de ter  xingado o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, o filipino também apareceu na televisão desejando um feliz Natal para os traficantes, uma vez que eles não viveriam para comemorar a data no ano seguinte.

Continua após a publicidade

Publicidade