Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Sanders oficializa apoio a Clinton após mais de um mês de resistência

O senador desistiu oficialmente da campanha pelo Partido Democrata, no primeiro ato conjunto com a ex-rival

Por Da Redação 12 jul 2016, 14h05

O senador Bernie Sanders declarou apoio oficial a sua rival nas primárias democratas, Hillary Clinton, nesta terça-feira. Mesmo com desvantagem irreversível nas prévias, Sanders resistiu durante mais de um mês em defender Hillary e, consequentemente, confirmar sua desistência, para continuar pressionando sobre o conteúdo do programa do partido.

“Hillary Clinton ganhou as primárias e eu a parabenizo por isso. Será a indicada democrata para a presidência e farei todo o possível para que ela seja a próxima presidente dos Estados Unidos”, garantiu o senador pelo estado de Vermont no primeiro ato de campanha conjunto, na cidade de Portsmouth. Sanders também agradeceu “os 13 milhões de americanos” que votaram nele durante as primárias democratas e defendeu a união do partido.

Leia também:

Hillary amplia vantagem sobre Trump para 13 pontos, diz pesquisa

Obama participa de primeiro comício ao lado de Hillary

Sanders afirma que irá votar em Hillary para presidente dos EUA

Com um posicionamento mais à esquerda que ex-secretária de Estado, Sanders havia dito no passado que só confirmaria que estava ao lado de Clinton quando tivesse certeza que ela iria “representar os trabalhadores e não Wall Street”. No final de junho, o senador confirmou em entrevista que votaria em Hillary para impedir que o republicano Donald Trump chegasse à presidência, porém, reafirmou na época que não estava desistindo da corrida.

Após o anúncio tardio, mas já esperado do senador, Hillary disse que a eleição será muito mais “proveitosa com ambos do mesmo lado” e agradeceu o antigo rival. “Nós somos mais fortes juntos”, declarou. Já Trump aproveitou para se manifestar no Twitter e atacar Sanders: “Estou surpreso que Bernie Sanders não seja verdadeiro consigo mesmo e seus apoiadores. Eles não estão felizes que ele está se vendendo!”, escreveu o magnata.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade