Samaras propõe ‘governo de salvação nacional’ na Grécia

Resultado de partido conservador não é suficiente para ele governar sozinho

Por Da Redação - 6 maio 2012, 17h23

O líder do partido conservador Nova Democracia (ND), Antonis Samaras, vencedor das eleições deste domingo na Grécia, anunciou que está pronto para formar “um governo de salvação nacional”, dado que o resultado obtido não lhe é suficiente para governar sozinho. “Estamos prontos para formar um governo de salvação nacional”, disse Samaras em entrevista coletiva na sede de seu partido após conhecer os resultados do pleito.

Com um terço dos votos apurados, a ND recebia pouco mais de 20% dos sufrágios, seguido pela Coalizão da Esquerda Radical (Syriza) com cerca de 16%, e pelo Movimento Socialista Pan-Helênico (Pasok) com 14%, que sofreu um duro golpe ao perder quase 30 pontos em relação às eleições de 2009, quando foi a força mais votada com quase 44% dos apoios.

Leia também:

Publicidade

Leia também: Partido neonazista chega pela 1ª vez ao Parlamento grego

Publicidade

De acordo com esses resultados, os conservadores receberiam 112 deputados (50 deles como prêmio por ser o partido mais votado) dos 300 com que conta o Parlamento grego. Durante o discurso, Samaras fez uma chamada a todos os partidos de orientação europeísta para pactuar um governo de coalizão.

Para incluir também os mais críticos com as medidas de austeridade, antecipou que as linhas do pacto poderiam passar por modificar os termos do memorando assinado com a União Europeia em fevereiro em troca do segundo resgate e por favorecer o desenvolvimento econômico se permanecer na eurozona. “Somos a única garantia de estabilidade política. Entendo a ira das pessoas, mas a Nova Democracia não deixará o país sem governo”, salientou.

O líder do Pasok, Evangelos Venizelos, também sugeriu a criação de um Executivo de união nacional. “Das eleições não saiu um claro vencedor, e é necessário um governo de união nacional com partidos de orientação pró-europeia. Tenho certeza de que o povo protegerá o futuro do país”, afirmou Venizelos.

Leia também:

Publicidade

Leia também: Gregos vão às urnas em pleito decisivo para futuro do país

(Com agência EFE)

Publicidade