Clique e assine com até 92% de desconto

Saiba o tamanho do problema dos refugiados

Por Da Redação 14 set 2015, 07h57

Na semana passada, o vice-chanceler alemão Sigmar Gabriel afirmou que a proposta da União Europeia de assentar 160.000 refugiados até o final do ano era “uma gota d’água num oceano”. Os números da maior onda de imigrantes na Europa desde a II Guerra Mundial mostram que Gabriel, infelizmente, está correto em sua avaliação.

Desde o início do ano até o final de agosto, 549.000 imigrantes chegaram à Itália, Grécia e Hungria, nações que ficam em regiões limítrofes da zona Schengen – área de livre circulação de pessoas que abrange 26 países. No mesmo período, 794.000 pessoas já pediram asilo como refugiados às nações europeias – o número do pedido de asilos é superior ao número de entradas pois incluem solicitações de pessoas que já estavam na Europa antes de 2015.

Leia também

Vídeo exibe tratamento desumano recebido por imigrantes na Hungria

EUA se preparam para admitir pelo menos 10 mil refugiados sírios no próximo ano

​Comissão Europeia quer redistribuir 160 mil imigrantes entre países da UE

Até o final de 2015, os países europeus devem receber 1,3 milhão de pedidos de asilo – só a Alemanha deve receber sozinha mais de 800.000 solicitações. Se o número da Europa representa um desafio e tanto às nações, para Turquia, Líbano e Jordânia, países mais próximos das áreas em guerra na Síria, Iraque e Afeganistão, o problema é ainda maior. Os três países devem receber 4,6 milhões de pedidos de asilo até o final do ano. Abaixo, um gráfico ilustra os números em escala de tamanho e a conclusão é óbvia: o problema é enorme.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade