Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rússia suspende proibição de entrega de mísseis ao Irã

Decisão que permite a Moscou enviar um sistema de defesa a Teerã foi criticada pelos governos americano e israelense

O presidente russo Vladimir Putin assinou nesta segunda-feira um decreto que suspende a proibição de fornecer ao Irã mísseis S-300, estabelecendo um marco legal para o país retomar seus planos de vender um poderoso sistema de defesa aérea para Teerã. A medida foi criticada pelos governos americano e israelense.

A decisão do governo russo, que cria a opção de enviar os artefatos militares por via marítima, terrestre ou aérea, foi tomada antes do prazo de 30 de junho, quando potências como Estados Unidos e Rússia devem chegar a um acordo final com o Irã sobre seu programa nuclear.

Israel foi o primeiro país a reagir ao anúncio do Kremlin, afirmando que esta decisão é o “resultado direto da legitimidade concedida ao Irã com o acordo em andamento, e a prova de que o crescimento econômico posterior ao levantamento das sanções (internacionais) será explorado pelo Irã para se armar, e não para garantir o bem-estar do povo iraniano”, segundo o ministro da Inteligência israelense, Yuval Steinitz.

Leia também:

Irã e potências mundiais concordam sobre parâmetros para acordo nuclear

Conheça os detalhes do pré-acordo sobre o programa nuclear do Irã

Israel espionou negociações nucleares entre Irã e EUA

A Casa Branca também se opôs à medida e considerou que as vendas “não ajudam” a alcançar um tratado conclusivo com o Irã. O secretário de Estado americano, John Kerry, expressou suas preocupações ao ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, durante uma conversa telefônica. Dada às tensões na região, indicou a porta-voz do Departamento de Estado, Marie Harf, “não é o momento de vender este tipo de sistema”. Ela também considerou que a decisão de Moscou “não é construtiva”.

Negócio – Rússia e Irã firmaram o contrato de cerca de 800 milhões de dólares em 2007, prevendo a entrega dos mísseis S-300. Os EUA e Israel, porém, pressionaram os russos a abandonar o negócio, demonstrando a preocupação de que Teerã poderia utilizar o sofisticado sistema de defesa aérea para proteger suas instalações nucleares de um eventual ataque. O governo russo cedeu em 2010, quando o então presidente Dimitri Medvedev emitiu um decreto proibindo a entrega dos mísseis.

Nesta segunda, Sergei Lavrov disse que o sistema de mísseis é “de natureza exclusivamente defensiva”, portanto não representa ameaça para nenhum governo da região, incluindo Israel. Segundo Lavrov, as sanções em vigor da Organização das Nações Unidas contra o Irã não impedem a entrega dessas armas de defesa aérea.

O sistema de mísseis S-300 terra-ar pode ser usado contra múltiplos alvos, incluindo jatos, ou para abater outros mísseis. Ainda não está claro quando os artefatos seriam enviados. A Rússia parou de produzir o modelo especificado no contrato original e agora oferece uma versão atualizada do sistema.

(Da redação)